CBF pretende remanejar o calendário nacional até a Copa de 2022

Com a edição da Copa do Mundo no Catar marcada para novembro de 2022, o calendário europeu e brasileiro terá que passar por ajustes independentemente da diferença de início e término da temporada de cada hemisfério. Ou seja, não dá para imaginar o calendário brasileiro nos próximos dois anos e meio da mesma forma que o conhecemos até aqui.

A dor de cabeça para os clubes será para ceder jogadores para as seleções nacionais. Em 2020, essa demanda será “impossível” de ser atendida, segundo o presidente da CFF, Rogério Caboclo.

Para o próximo ano, a CBF mantém a visão de que os estaduais continuarão no calendário – com um período exclusivo para eles. No entanto, em 2020, as federações que não conseguirem concluir seus torneios antes de 9 de agosto devem ter dificuldade para encaixar em uma data entre os torneios nacionais.

Segundo o jornal ‘O Globo’, a ideia da CBF, a partir daí, é um calendário mais próximo do convencional, começando o Brasileirão em maio. A Fifa planejou para junho de 2021 a primeira edição do novo Mundial de Clubes. A distribuição de vagas ainda não foi sacramentada, mas a possibilidade é alta de que clubes brasileiros estejam envolvidos. Entre 11 de junho e 11 julho, tem Copa América.

Ao término da temporada 2021 no futebol nacional, a correria voltará. Passadas as férias e a pré-temporada, a tarefa será desenhar uma temporada 2022 que termine ao menos até 21 de outubro. Ou seja, um mês e meio antes do convencional.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =