Um soldado da Polícia Militar do Estado de São Paulo teve uma iniciativa bastante criativa: resolveu pedir sua namorada em casamento fardado, durante o serviço.

O detalhe é que a namorada é tenente da PM, e estava de serviço no mesmo dia que ele. Alguns defensores ferrenhos da disciplina criticaram o ato por ter sido em serviço, mas felizmente a PMESP entendeu que além de ser uma demonstração de orgulho pela profissão, ao escolher o momento profissional para manifestar um ato simbólico importante para sua vida, também é uma afirmação da humanidade do policial, que possui sensibilidade e afeto como qualquer cidadão: