Visualizações

Feira de Santana: Policial militar é encontrado morto e a suspeita é de suicídio – Fotos

 

Por volta das 14h30min desta terça-feira (04/09),o soldado da Polícia Militar, Marcelo de Almeida Ribeiro,39 anos, que morava no Condomínio Residencial Bosque Imperial, na Avenida Fraga Maia, em Feira de Santana, foi encontrado morto com um tiro de pistola na cabeça.

Ele tinha 21 anos na corporação, era lotado na 67ª CIPM(Companhia Independente) e trabalhava no Conjunto Penal de Feira de Santana.

Segundo informações,o soldado pilotava uma motocicleta Honda XRE 300, cor vinho e placa NZD-4732, pela avenida Casemiro deAbreu, no bairro Cidade Nova, e ao chegar próximo ao muro do Seminário Diocesano desceu do veículo, sacou a arma que portava na cintura, e cometeu suicídio.

O coronel Adelmário Xavier, comandante do CPRL (Comando de Policiamento Regional Leste) esteve no local e disse ao Acorda Cidade, que a causa da morte só será identificada após a perícia,mas não descarta a possibilidade de suicídio, uma vez que o policialsofria de depressão.

O fato ocorreu próximo a residência onde Marcelo morava.

Fotos:

Fonte e fotos: acordacidade

  • GONCALVES

    Ja sofri de um surto psicotico e consequentemente uma fase depressiva, gracas a Deus passou, foi derivado do uso de anabolizantes, durou cerca de meia hora, me senti perseguido por alguem, e sai feito um louco. Perdi meu emprego. Foi muito duro p mim. Pena q esse Guerreiro naum conseguiu se controlar. INFELISMENTE ESSA JA E A DOENCA DO SECULO.

  • http://chicosabetudo VÂNIA

    Ó MEU AMIGO CARCARÁ EU ENTENDO SUA INDIGNAÇÃO,MAIS SE ELE PROCURASSE UM MÉDICO PSICOLOGO OU UM OUTRO DA ÁREA, ESSE POLICIAL TALVEZ FICASSE ENCOSTADO NÃO?
    TENHO UMA AMIGA QUE DO ESTADO E DE VEZ ENQUANDO ELA PEDE LICENÇA E FICA UM TEMPO AFASTADA E DEPOIS VOLTA

  • carcará do sertão

    QUANDO UM POLICIAL MILITAR ESTA COM PROBLEMAS, E SUA FAMÍLIA PROCURA O COMANDO DA UNIDADE PARA PEDIR AJUDA LOGO TEM A RESPOSTA DE UM não BEM GRANDE E SABENDO ELES QUE O POLICIAL NÃO TEM CONDIÇÕES NENHUMA DE TRABALHAR COM ARMAS, MAS MESMO ASSIM ELES COLOCAM ESSES POLICIAS NA RUA A TRABALHO E QUANDO ACONTECE ALGO DE ERRADO ELES PUNI ESSES POLÍCIAS DEIXANDO ASSIM A FAMÍLIA DESAMPARADA E ISSO ´QUANDO O POLICIAL NÃO É COLOCADO PRA FORA DA POLICIA . MEU POVO ESSE POLICIAL AGORA DEPOIS DE MORTO ELE VAI SER EXCLUÍDO, E SUA FAMÍLIA IRÁ PASSAR NESSE CIDADES.

    • amanda

      concordo com vc,ja tive uma experiencia dessa com meu marido,ele teve esquisofrenia ficou enternado no juliano moreira durante um mes e dez dias,estando ainda enternado eu fui avisada por um colega de que tinham entrado com o pedido de deserção do meu marido,foi quando entrei em contato com a assistencia juridica,pois eu ja tinha enviado para a companhia na qual ele trabalha a copia autenticada do laudo medico.Eles cancelaram o pedido mas até hoje durante esses três anos nunca tive ajuda da “familia” policia,ao contrario,colocaram meu marido para trabalhar na rua,armado, um dia após ele ter saido da clinica,mesmo tendo atestado de restrinções para não trabalhar armado.obs:na eopoca em que ele ficou enternado 80% dos pacientes eram policiais do estado da Bahia. SINTO MUITO POR ESSE GUERREIRO TER SIDO MAIS UMA VITIMA DO DESCASO.