Justiça manda soltar mulher que encomendou a morte de marido após descobrir incesto no Ceará

A Justiça do Ceará concedeu, nesta segunda-feira (11), liberdade provisória a Maria Aparecida Barroso de Sousa, investigada por mandar matar o marido após descobrir relacionamento incestuoso entre ele, a filha e o genro.

A decisão foi assinada pelo juiz Wallton Pereira de Souza Paiva da Comarca de Canindé, no Ceará, onde o caso aconteceu. 

A tentativa de homicídio aconteceu depois que a mulher, de 36 anos, descobriu que Jaelson Oliveira, de 39, mantinha relações sexuais com a própria filha, de 20 anos, e o genro dele, de 26 anos. (relembre o caso)

A determinação judicial estabeleceu ainda as seguintes medidas para Maria Aparecida:

  • Comparecimento mensal ao juízo, para informar e justificar atividades (art. 319, I, do CPP);
  • Proibição de ausentar-se da Comarca enquanto não findar a persecução criminal (art. 319, IV, do CPP);
  • Recolhimento domiciliar noturno de 19 às 06h (inclusive nos fins de semana);
  • Comparecimento a todos os atos do processo;

A Polícia Civil do Ceará investiga Jaelson Oliveira cometeu o crime de estupro contra a própria filha e se há possíveis delitos da mesma natureza contra outros adolescentes.

O homem também é alvo de investigação, pelo crime de violência doméstica, cometido contra a mulher Maria Aparecida. Ela argumentou, em depoimento, ter sido agredida e ameaçada pelo marido para que não acabasse com o relacionamento.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − três =