Em depoimento, suspeito de estuprar e matar criança disse que estava drogado e não lembra de nada

O suspeito de estuprar e matar uma criança no município de Maravilha, Sertão de Alagoas, foi ouvido na tarde desta quinta-feira (6) pelo delegado Hugo Leonardo, da Delegacia Regional de Santana do Ipanema. O delegado informou que, em depoimento, o suspeito, de 44 anos, disse que estava drogado e embriagado e não lembra de nada.

Apenas as iniciais E.F do homem foram divulgadas pelo delegado. Segundo o 7º batalhão da Polícia Militar, que atua na cidade de Maravilha, o suspeito é conhecido como “Santinho”.

Ele não assumiu, alega que não lembra de nada, que estava sob efeito de drogas e álcool. Perguntamos como a criança chegou ao local, ele diz não lembrar, não lembrar, não lembrar… O que ele fala é isso, que não lembra de nada, que estava drogado e embriagado desde o dia de ontem“, contou o delegado.

Questionado sobre se o homem conhecia a criança antes do crime, o delegado afirmou que sim. “Ele confessou também que já tinha dado dinheiro para a menina outras vezes, para ela comprar doces, balas e etc e que a família também o conhecia. Isso ele diz no depoimento e vai ser verificado durante o inquérito policial“, contou Hugo Leonardo.

O delegado disse ainda que o suspeito morava próximo da vítima e falou sobre os próximos depoimentos previstos. “Os familiares ainda não foram ouvidos, estão muito abalados e não tiveram condições de vir até a delegacia, até também pela questão da revolta da população. Mas serão ouvidos nos próximos dias. gente trouxe o preso para o local para garantir tanto a segurança dele quanto a ordem pública“, detalhou o delegado.

De acordo com Hugo Leonardo, o suspeito foi autuado em flagrante pelos crimes de homicídio, estupro de vulnerável, sequestro e cárcere privado. “Agora o procedimento está sendo comunicado ao juiz da comarca de Maravilha e o homem está à disposição do judiciário“, esclareceu. 

O delegado disse ainda que, por motivos de segurança, a polícia não vai divulgar agora para onde o suspeito será transferido.

Vamos transferi-lo, mas por questões de segurança não vamos informar para onde ele vai no momento, por conta da revolta e indignação da população“, disse Hugo Leonardo.

Relembre o caso, clicando aqui.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + dezessete =