Connect with us

Polícia e investigação

Ilhéus: Policial militar envolvido em homicídio de jovem se apresenta à polícia e é liberado

PM João Wagner se apresenta em delegacia por caso de homicídio na Bahia, alega disparo acidental e é liberado.

Avatar De Redação Portal Chicosabetudo

Publicado

em

Ilhéus: Policial Militar Envolvido Em Homicídio De Jovem Se Apresenta À Polícia E É Liberado

Em Ilhéus, sul da Bahia, o policial militar João Wagner Madureira, envolvido no caso da morte de Fernanda dos Santos, 23 anos, compareceu na delegacia local nesta segunda-feira (15). O fato ocorreu em um posto de combustível na cidade na madrugada da última quinta-feira (11). Segundo registros de câmeras de segurança, Madureira agrediu e disparou contra a jovem, resultando em sua morte.

Madureira foi ouvido e liberado, pois o prazo legal para prisão em flagrante já havia expirado. O policial alegou que o disparo foi acidental. Anteriormente, a defesa de Madureira divulgou uma nota afirmando que o policial não conhecia a vítima, a qual teria se comportado de maneira descontrolada durante o confronto.

Informações preliminares indicam que a vítima e o policial poderiam ter um relacionamento amoroso. Um vídeo circulante nas redes sociais mostra Madureira abordando Fernanda de forma agressiva e, após uma discussão acalorada, efetuando os disparos. Fernanda foi socorrida ao Hospital Regional Costa do Cacau, mas não resistiu aos ferimentos.

A nota da defesa de Madureira menciona o incidente como “trágico” e afirma que o policial, conhecido como Cenoura e lotado na 69ª CIPM, sempre se dedicou à defesa da sociedade e à proteção das mulheres. A defesa ressalta que o ocorrido não reflete a trajetória de Madureira como policial militar, reconhecendo, no entanto, a necessidade de responder judicialmente pelos atos cometidos.

Segundo a defesa, apesar das acusações de feminicídio na cobertura midiática, o policial não conhecia a vítima e o ato não foi motivado por violência doméstica, familiar, menosprezo ou discriminação de gênero. Alega-se que as imagens ainda não divulgadas comprovarão que a arma foi disparada acidentalmente durante um confronto físico, quando a vítima tentou segurar a arma.

A defesa enfatiza o compromisso de Madureira em cooperar com as investigações e sua disposição para responder perante a justiça. Ao final, expressa condolências à família da vítima.

Este caso continua sob investigação e mais detalhes podem emergir conforme o processo avança.

ANÚNCIO

Mais Lidas