Vale-alimentação estudantil injeta R$ 44 milhões na economia baiana

Vale-alimentação/crédito: Divulgação/Secretaria de Educação da Bahia

Os estudantes da rede estadual de ensino já estão recebendo a nova parcela do vale-alimentação estudantil. O crédito seria feito na terça-feira (23), mas a Secretaria da Educação do Estado (SEC) conseguiu negociar a antecipação com a Alelo e o valor de R$ 55 por estudante já entrou na conta de mais de 730 mil alunos.

Para os demais estudantes, o depósito acontecerá nesta segunda (22) e terça-feira (23). São mais R$ 44 milhões que estão sendo injetados na economia baiana, totalizando R$ 220 mil já investidos no Programa Vale-alimentação Estudantil (PVAE), com recursos próprios do Governo da Bahia.

Para saber se o cartão está incluído nestes primeiros lotes, o estudante pode acessar o aplicativo da Alelo, disponível nas lojas Android e iOS; no site da Alelo; e nos canais de comunicação no verso do cartão, como a central telefônica (4004 – 7733). A Secretaria da Educação recomenda que vá apenas uma pessoa por família fazer as compras para evitar aglomeração, seguindo as normas de segurança, como o uso de máscara.

Segundo o superintendente de Planejamento Operacional da Rede Escolar, Manoel Calazans, neste ano serão liberadas três parcelas, ou seja, mais R$ 132 milhões no PVAE. “Conseguimos antecipar o crédito do programa por determinação do governador Rui Costa (PT) e os estudantes já podem se dirigir aos supermercados, mercadinhos de bairro, padarias e outros estabelecimentos que recebem a bandeira Alelo.

Com esta já são cinco parcelas do PVAE e o governador Rui Costa já determinou o pagamento de mais duas para proporcionar a segurança alimentar dos estudantes e de suas famílias, além de contribuir para movimentar a economia em todos os 417 municípios da Bahia”, afirmou.

O comerciante Wellington Santos, proprietário de um hortifrut, localizado no bairro de São Cristóvão, em Salvador, falou como o vale-alimentação impacta positivamente nos negócios neste momento de pandemia do novo Coronavírus. “Este vale-alimentação disponibilizado pelo governo movimenta e acelera a economia, porque estamos passando por uma pandemia e, também, por uma crise econômica. O vale-alimentação impacta diretamente nas vendas dos mercadinhos, mercearias e hortifrutis, que passam a contar rapidamente com este valor no caixa “, ressaltou.

O estudante Cauã de Carvalho, 16, 2º ano, do Colégio Estadual 15 de Novembro, em Salvador, diz que sempre faz as compras no mercado próximo de casa. “O vale-alimentação tem uma importância muito grande para todos os estudantes e suas famílias, pois ele serve para complementar a nossa alimentação e, também, da nossa família. Este é um valor que podemos usar para comprar feijão, arroz, farinha e outros alimentos. É um programa essencial e muito importante para nós estudantes”, afirmou.

O vale-alimentação é destinado, exclusivamente, para a compra de gêneros alimentícios, como feijão, arroz, macarrão, carne, frango, frutas, verduras, café e leite. Em caso de dúvida, o estudante deve entrar em contato com a escola onde está matriculado ou pelos canais da Ouvidoria (0800 284 0011 e e-mail [email protected]).

Outras políticas de assistência estudantil

Além do vale-alimentação, o Governo da Bahia investe em mais dois programas de assistência estudantil, cujos investimentos somam mais de R$ 410 milhões, em 2021. Com o Programa Mais Estudo, bolsas de R$ 100 serão concedidas para 52 mil estudantes, que darão monitoria em Língua Portuguesa, Matemática e Educação Científica aos colegas.

O outro programa é o Bolsa Presença, que concederá R$ 150 reais para cada família de baixa renda, cadastrada no CaD Único e com filhos na rede estadual. O objetivo do Bolsa Presença é assegurar a permanência dos estudantes nas escolas, evitar o abandono e fortalecer o vínculo com a escola.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 1 =