Paulo Afonso: “As vacinas devem ser distribuídas nos PSFs”, sugere Evinha Oliveira

Vereadora Evinha Oliveira -Créditos: Divulgação

Nesta segunda-feira (15), durante a sessão ordinária da Câmara Municipal, a vereadora Evinha Oliveira (Solidariedade) fez observações importantes no que diz respeito à vacinação dos idosos ocorridas neste domingo (14), no Centro e no BTN, além das demissões feitas pelo prefeito Luiz de Deus (PSD), no fim de semana.

O prefeito grava uma mensagem correta homenageando os profissionais de saúde e no outro dia, somos surpreendidos com as demissões de 28 profissionais de saúde; a gente não pode, numa cidade como Paulo Afonso acordar com mais 50 pessoas demitidas sem qualquer justificativa”, comentou a líder da oposição.

Evinha acrescentou que se é para demitir, o prefeito deve ter outro critério em razão da pandemia. “Eu não concordo com essa história de que Luiz de Deus não sabe quem são os profissionais demitidos, ele sabe, e nós precisamos de esclarecimentos.

A vacinação

Comentando o dia problemático envolvendo a vacinação de idosos a partir dos 75 anos, neste domingo, a vereadora criticou a falta de planejamento da prefeitura e sugeriu mudanças a fim de atender idosos que não têm carro e/ou moram muito longe:

Fazem tudo sem planejamento, a toque de caixa. Temos lá [no Ginásio] um espaço gigante com apenas uma mesa com três ou quatro vacinadoras, porque não fazer como na ocasião do recadastramento?, então colocam as pessoas idosas para sofrer em filas intermináveis, sem necessidade”, criticou Evinha.

A vereadora disse ainda que a prefeitura poderia criar um aplicativo para atender ao cidadão. “Não só para a Covid, mas também para os serviços, agora a prefeitura está fechada e como fica?, a prefeitura tem um disque denúncia e uma ouvidoria que, infelizmente não funcionam”.

De acordo com ela, quando os grupos a serem vacinadas diminuírem para a casa de 70 ou 60 anos será um inferno. “Você imagina o sofrimento que será para a população quando baixar mais a idade?

Sobre as vacinas, Evinha afirmou que tem poucas informações sobre as aplicações e que isto pode gerar favorecidos na fila da vacina. “Nós fiscais não podemos permitir apadrinhamento ou que furem a fila, em detrimento de um idoso; por isso apresentei aqui um projeto de lei que pede a alimentação do sistema no site da prefeitura para que o cidadão saiba quem está sendo vacinado.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − cinco =