Ministério da Saúde diz ao STF que país não tem seringas suficientes para vacinas de Covid

Seringas/crédito: Pixabay

O Ministério da Saúde afirmou ontem (13) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o Brasil não possui seringas suficientes para a vacinação de Covid-19. A declaração vai contra o que declarou o titular da pasta, Eduardo Pazuello, na semana passada. A informação é da coluna de Guilherme Amado, na revista Época.

“Estima-se que há nos estados mais de 52 milhões de seringas e agulhas aptas para a realização da vacinação, enquanto a estratégia para os grupos listados estima quase 30 milhões de doses para o esquema vacinal completo de duas doses”, disse a pasta, em documento do dia 8 de janeiro, endossado por Pazuello e enviado ontem ao Supremo, no âmbito de uma ação movida pela Rede Sustentabilidade, relatada por Ricardo Lewandowski.

Com uma tabela que inclui todos os estados, o ministério afirmou que os números foram contabilizados a partir de e-mails enviados aos estados em 27 de novembro, e que “apenas” sete estados não terão seringas o bastante: Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina. O número representa um quarto das unidades da federação.

Em outro documento, desta vez de 11 de janeiro, enviado ao STF na mesma leva, a Saúde afirmou que “os estados possuem aproximadamente 80 milhões de seringas e agulhas que poderão ser utilizadas para início da campanha de vacinação contra a Covid-19”. Não há, contudo, mais detalhes desses números que a pasta alegou.

O discurso contrasta com o que tem dito o general e ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Em pronunciamento no Palácio do Planalto, na semana passada, ele atacou a imprensa e disse que “não existe falta de seringa”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + vinte =