Covid-19: Anvisa recebe pedido de uso emergencial de vacina do Butantan

Embalagem da Coronavac -Créditos: Divulgação

A Anvisa anunciou hoje (8) que recebeu o pedido de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental da vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria a empresa Sinovac. O órgão prevê que a análise do pedido emergencial leve até dez dias, já o de registro, até 60 dias. No entanto, o governo paulista defende a aplicação de uma lei aprovada ano passado que determina prazo de 72 horas para Anvisa aprovar o uso de fármacos (entre eles vacina) desde que já aprovados em agências regulatórias de referência.

Segundo a agência, as primeiras 24h serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e checar se os documentos necessários estão disponíveis. Se houver informação importante faltando, a Anvisa pode solicitar as informações adicionais ao laboratório. O prazo de 10 dias, de acordo com Anvisa, não considera o tempo do processo em status de exigência técnica.

Ontem (7), o governo de São Paulo apresentou os resultados da terceira fase de teste do imunizante, que é de 78% para casos leves de covid-19 e 100% em casos graves. A porcentagem da eficácia está acima dos 50% exigidos pela Anvisa.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + nove =