“Quem decide é o presidente”, diz Mourão sobre compra de vacinas

Mourão e Bolsonaro -Créditos: Redes Sociais

Dias depois de afirmar que o governo federal vai comprar doses da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus em desenvolvimento pelo Instituto Butantan e a empresa chinesa Sinovac, o vice-presidente Hamilton Mourão mudou o discurso e disse que a palavra final caberá ao presidente Jair Bolsonaro.

Nesta terça-feira (3/11), ao conversar com jornalistas no Palácio do Planalto, Mourão disse que não houve briga entre ele e Bolsonaro por conta do tema. “Aqui não há briga. Existem opiniões, que ora coincidem, ora não. Mas quem decide é o presidente e ele foi eleito para isso“, analisou.

Na última sexta-feira (30/10), o general garantiu, em entrevista à revista Veja, que o governo federal não fugiria da responsabilidade de adquirir as futuras vacinas contra a covid-19 e que disponibilizaria recursos ao Instituto Butantan para a compra de doses da CoronaVac. No mesmo dia, Bolsonaro rebateu Mourão e frisou que a decisão seria dele.

O presidente tem se colocado contra a CoronaVac principalmente por conta da participação do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), no processo de testagem do imunizante no país.

O que eu quis colocar (na entrevista) é o seguinte: a vacina é a vacina brasileira, produzida aqui no Brasil. Óbvio que o presidente vai tomar a decisão que for melhor para o conjunto da população brasileira, que é a responsabilidade dele. Vamos aguardar, essa vacina não é uma coisa tão simples“, comentou Mourão, nesta terça.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 11 =