Após retomada, bares, restaurantes e igrejas de Paulo Afonso registram movimento e número de casos da Covid-19 aumentam

Dois dias após a retomada de bares, restaurantes e igrejas, Paulo Afonso voltou a apresentar aumento no número de casos da Covid-19. Segundo o último Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde divulgado nesta quarta-feira, 02, a cidade apresentou 21 novos casos e 01 morte em 24 horas, totalizando 741 casos e 33 óbitos, respectivamente. De 1º de setembro, data em que o decreto passou a valer, até o momento, já são 27 novos casos e 02 óbitos.

Mesmo antes da retomada do comércio, os números de casos e mortes do vírus na cidade já apresentava crescimento. Mas mesmo assim, a Prefeitura de Paulo Afonso decidiu por em prática o decreto municipal de número 5.824, que estabelece que os estabelecimentos citados ficam autorizados a atender presencialmente, com ressalvas das autoridades em saúde para funcionários e clientes, como medida de impedir o avanço do contágio do novo coronavírus.

Movimento nos estabelecimentos

Durante os dois dias em que passou a valer o decreto, percorremos vários estabelecimentos comerciais da cidade e em nenhum dos pontos visitados encontramos agentes da Vigilância em Saúde responsáveis pela fiscalização dos locais atuando. Na praça Dom Jackson, localizada no Centro, jovens se aglomeraram em mesas e cadeiras fixadas no canteiro. Movimento também foi registrado num bar no entorno do Lindinalva Cabral.

Dúvida e tensão

Nas ruas, o clima continua sendo de temor entre a população. Muitos temem que com a aproximação do final de semana os casos aumentem ainda mais. Isso porque sem a rotina de trabalho, pessoas se desloquem para bares e restaurantes. “Essa reabertura fará com que os casos aumentem ainda mais agora no final de semana. Infelizmente a prefeitura está tapando o sol com a peneira reabrindo. Não tinha necessidade abrir os bares e restaurantes, o serviço em delivery estava melhor”, disse a manicure, Juliana Gomes.

Outro receio é com relação à falta de fiscalização da Prefeitura de Paulo Afonso, por meio da Secretaria de Saúde. “Eu acredito que a fiscalização não aconteça. Eu estou vendo um abandono tão grande. Ninguém está ligando para nada”, disse a dona de casa, Dona Cícera.

Por outro lado, a reabertura trouxe também alívio aos donos de bares e restaurantes que agora poderão faturar com o comércio.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 6 =

Veja também