Receita Federal faz pente-fino em patrimônio de Mário Negromonte e Roberto Britto

Segundo informações da revista Isto É, dez políticos alvos da Operação Lava Jato estão deixando a Receita Federal em alerta. Dentre eles, estão os baianos Mário Negromonte, ex-ministro das Cidades, e o deputado federal Roberto Britto, ambos do PP.

Os auditores da Receita fizeram um pente-fino sobre o patrimônio dos políticos e estão pedindo justificativas para gastos em valores inferiores a R$ 1.000 e, principalmente, questionando a origem de depósitos em suas contas, mesmo em relação a valores baixos.

Enquanto Negromonte responde a um ato de infração aberto em 2015 sob suspeita de variação patrimonial incompatível com seus rendimentos, Roberto Britto responde processo por falta de comprovação na origem dos depósitos e venda de gado. Sua defesa diz que movimentações estão comprovadas nos registros bancários. Já a defesa de Negromonte diz que a situação já foi regularizada.

Além deles, são alvos da Lava Jato André Vargas, Aníbal Gomes (deputado federal pelo PMDB-CE), Arthur Lira (deputado federal pelo PP-AL), Dilceu Sperafico (deputado federal pelo PP-PR), Eduardo Cunha (deputado cassado, do PMDB-RJ), José Otávio Germano (deputado federal pelo PP-RS), Lázaro Botelho (deputado federal pelo PP-TO) e José Dirceu (ex-ministro da Casa Civil no governo Lula). Todos negam as acusações e tentam reverter a autuação da Receita.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + 2 =