Após ser afastada definitivamente, Dilma faz pronunciamento em Brasília

A presidente cassada Dilma Rousseff discursou na tarde desta quarta-feira (31) após o Senado ter votado pela cassação do seu mandato. A ex-presidente falou em injustiça, citou o que chama de golpe e prometeu voltar. 

“Hoje o Senado federal tomou uma decisão que entra para história das grandes injustiças, decidiram rasgar a constituição, condenaram uma inocente e consumaram um golpe parlamentar”, enfatizou. “Não ascende ao governo pelo voto diretor, como eu e Lula [seu antecessor] fizemos, é o segundo golpe de estado que enfrento na vida. O primeiro foi o golpe militar, apoiado nas armas e o segundo o parlamentar por meio de uma farsa jurídica. […] Levaram ao poder um grupo de corruptos investigados, o projeto que represento está sendo interrompido” 

A petista também citou a questão do gênero e disse que o colocou o impeachment como um atentando às lutas a favor dos direitos. “Acabam derrubar a primeira mulher eleita presidenta do Brasil sem que haja qualquer justificativa constitucional para o impeachment. […] O golpe não foi contra meu meu partido, o golpe vai atingir qualquer organização progressista e democrática. O golpe é contra o povo e a nação, é isógina, é racista, machista, é homofóbico”. 

Dilma citou ainda o projeto de governo voltado para o social e pediu ao povo brasileiro que “Não desistam da luta, eles pensam que nos venceram, mas estão enganados. Haverá contra ele a mais determinada oposição que um governo golpista pode sofrer” […] “Essa história não acaba assim, a interrupção não é definitiva, não voltaremos apenas para satisfazer nossa vaidade, voltaremos para continuar nossa jornada rumo a um Brasil em que o povo é soberano […] Saio do governo como entrei, carregando no peito o mesmo amor pelos brasileiros. Eu vivi a minha verdade, dei o melhor”. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + 6 =