Presidente do PT na Bahia diz que antecipar eleições não é a solução

Um grupo de senadores, três dos quais são baianos, lançou ontem uma consulta pública referente a uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que sugere a realização de eleições presidenciais em outubro, junto ao pleito para prefeitos e vereadores.

O manifesto, apresentado na semana passada, é encabeçado pelo baiano Walter Pinheiro (sem partido), que chegou a comentar o fato em entrevista concedida à rádio Baiana FM, na segunda: “Michel Temer não tem condições de governar. Ele não tem a legitimidade do voto popular, fez um discurso de reunificação e fica voltando atrás. Dilma e Temer mostraram uma plataforma diferente da anunciada em campanha, por isso essa contradição agora”.

 Em conversa com a Tribuna, a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) reiterou a importância de permitir que o povo opine sobre o futuro político do país, e disse que o governo interino está se construindo alicerçado em um “toma lá, dá cá”: “O impeachment é uma posição de confronto, leva o governo à incapacidade de sair da crise, com medidas que sobrecarregam o trabalhador. Os empresários vão impor sua agenda. É preciso rediscutir o modelo econômico”. Também ouvido pela reportagem, o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, disse que antes de se discutir a antecipação das eleições, “é preciso devolver o Brasil ao seu estado natural”. “Todo e qualquer processo de participação popular é legítimo. Nesse caso específico, tem uma preliminar, porque sofremos um golpe. A melhor solução é devolver a Dilma o poder. A democracia foi seriamente ferida”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − quinze =