Sitio do Quinto: População revoltada vai à câmara e faz protesto contra retorno do prefeito

A sessão da Câmara de Vereadores de Sitio do Quinto esteve lotada na noite desta segunda-feira (14). Moradores foram à Câmara protestar contra o retorno do prefeito Cleigivaldo. Revoltados com a decisão judicial que traz de volta o gestor ao poder.

 Houve quebra- quebra de cadeiras do plenário da casa, muito bate-boca e empurra-empurra.  A Polícia Militar, precisou ser acionada para conter situação. Os manifestantes e funcionários chamavam prefeito de Corrupto e ladrão e gritavam Fora corrupção!

A noite também foi marcada pela aprovação da (LOA). A Câmara Municipal de de Sítio do Quinto aprovou nesta segunda-feira (14) a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício financeiro de 2016. Câmara só permitiu 10% de suplementação para prefeito Cleigivaldo desapertar orçamento.

O vereador Carlé do Sindicato(PSC) e Anselmo do Razinho(DEM) denunciaram várias irregularidades encontradas durante auditoria implantada pelo governo de Jair do Correio(PP), nos últimos 14 dias que exerceu a função de prefeito interino.

Em discurso no plenário da casa Rodrigo desabafou: “Não desejo aos senhores aqui presente o que passei nos últimos 15 dias". Aproveito espaço para parabenizar os colegas vereadores e ao ex-vice-prefeito Carlos Reis, pela determinação de nos ajudar a afastar o gestor Cleigivaldo da prefeitura. Rodrigo disse que na história de Sítio do Quinto, nenhum vereador teve a coragem e a ousadia de enfrentar o gestor como ele desafiou e peitou. Tive que andar escoltado de segurança particular, pois vivi dias de terror psicológico. “Se for pra pôr em risco a vida dos meus pais, e a minha vida, prefiro sair da política". Na política você só cresce em duas situações: Dividas e inimizade, argumentou Rodrigo dizendo que nem tudo pela política vale a pena.

Os vereadores Zé Miranda e Anselmo do Razinho pressionaram e cobraram explicações ao presidente da casa, que evitou prestar maiores esclarecimentos.

Para alguns políticos consultados pela reportagem do Blog, muitos afirmam que o presidente se saiu bem em discurso, uma vez que as vaias não foram direcionadas diretamente ao chefe do legislativo e sim aos vereadores da situação por permanecerem em silêncio. O vereador Zé Miúdo do povoado Razinho foi o mais criticado e vaiado durante discurso. Para o vereador da oposição, o discurso de Rodrigo era esperado. As alegações feitas por Rodrigo, controlaram os ânimos e convenceu maior parte do público presente. 

Questionado por Carlino Souza, sobre o seu encontro com o prefeito Cleigivaldo, Rodrigo, presidente da Câmara nega qualquer tipo de "negociação, relação ou envolvimento" com primo. Ele declarou que não houve encontro algum as “escondidas. De fato, a minha família me procurou, mais de forma alguma me unir com Cleigivaldo. Minha posição é continuar na oposição. De lá eu vim, dispara. Embora houve alguns rumores de que eu teria aderido à ele, posso afirmar que é mais uma mentira de alguém que quer me jogar contra o povo e contra o grupo. "Eu não me encontrei com Cleigivaldo, não acertei nada com ele. Não vejo ele a meses", garante. Para ele, a pessoa que passou as informações teve o intuito de joga-lo contra o próprio grupo, numa tentava de "queimar sua imagem" perante sociedade, explica.

Rodrigo assegura continuar trilhando no caminho da oposição e joga a responsabilidade na justiça para punir e julgar o primo prefeito Cleigivaldo. Sou oposição e serei. No início da semana passada jantei com a minha base, na residência do vereador Carlé do Sindicato, onde expliquei a todos a minha situação.

Realmente o que estou passando precisa ser levado em consideração. O jogo político envolve vidas. Eu e meus pais, fomos ameaçados de morte caso insistisse continuar complicar a vida política de Cleigivaldo, declarou Rodrigo, sem revelar de onde partiu as ameaças. Me julgar é fácil, suportar o que passei é difícil, finaliza.

Quanto a candidatura de Rodrigo de Gilson(PDT) como sucessor de Cleigivaldo, não existe nada concreto. Não existe relações, tão pouco acordos. A fonte ainda revela que o assunto não foi discutido em mesa. “Foram feitos acordos familiares em torno do retorno de Cleigivaldo a prefeitura. Acordos para apoiar Rodrigo não houve, apenas reataram as pazes familiar”, más a todo tempo Rodrigo se manteve distante de dialogo com Cleigivaldo, garante um membro que participou da reunião familiar.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 1 =

Veja também