Homem é espancado até a morte após falsa denúncia de estupro

Um homem, identificado como Miguel Inácio Santos Filho de 49 anos, foi espancado até a morte após uma falsa denúncia de estupro. O caso aconteceu em junho, no Espírito Santo, mas a farsa só foi descoberta agora. As informações foram divulgadas pelo G1.

Segundo informações da Polícia Civil, investigações apontaram que a vítima iniciou uma discussão com duas mulheres por causa do valor cobrado por um programa. Com raiva, uma das mulheres inventou que Miguel era estuprador. As duas mulheres, identificadas como Bruna Hoffman, de 26 anos, e a mãe dela, Lucinéia Pereira da Silva, de 50, foram presas.

De acordo com a polícia, Bruna disse que o homem era estuprador e teria abusado de duas crianças, o que enfureceu a população da região. A vítima foi espancada até a morte por populares, juntamente com Bruna e Lucinéia. A mãe usou uma enxada e Bruna um pedaço de madeira. Outras pessoas usaram pedras para agredir Miguel.

“A vítima era trabalhador, inocente. Não tinha praticado nenhum estupro. A Bruna deixa bem claro em depoimento que só fez isso para que a população segurasse a vítima que ela não alcançaria. É mais um inocente que é morto por uma notícia falsa. A população não pode fazer justiça com as próprias mãos. Isso fica a cargo do estado por intermédio das polícias. Não se deixem levar pelo que é falado para fazer justiça”, alertou o delegado Daniel Fortes, responsável pela investigação.

A polícia agora tenta identificar outras pessoas que participaram do linchamento.

Comentários