Jovem de 19 anos denuncia agressão feita por PM em evento no extremo sul da Bahia: ‘Bati a cabeça no chão’

Jovem de 19 anos denuncia agressão feita por PM em evento no extremo sul da Bahia — Foto: Arquivo Pessoal

Uma jovem de 19 anos denunciou agressões feitas por um policial militar durante um evento na cidade de Porto Seguro, que fica no extremo sul da Bahia. Segundo a vítima, identificada como Emily Viana Souza, ela tomou um murro no rosto.

O caso aconteceu por volta das 6h30 de domingo (18), no bairro Agrovila, na BR-367, e é investigado pela Polícia Civil.

Em entrevista ao G1, Emily Viana Souza contou que estava com amigos, quando o suspeito da agressão, identificado como Paulo Vitor, que também curtia a festa, a chamou e desferiu um tapa seguido de um murro no rosto.

“Eu estava conversando com minha amiga, ele fez um sinal com o dedo me chamando. Ele falou: ‘Vem cá’. Minha amiga falou: ‘Você vai?’ E eu disse: ‘Eu vou’. Até porque não passou na minha cabeça que ele poderia me agredir”, contou a jovem.

“A única coisa que eu pensei foi que ele deveria me perguntar o porque que eu não simpatizo com ele e só. Já cheguei lá com as mãos para trás, nem encostei nele e nem fiz nada”.

Segundo Emily Souza, o suspeito deu um tapa nela, assim que ela foi até ele. A vítima conta que não sabe o motivo das agressões.

“Quando eu cheguei, eu falei: ‘O que foi?’ Aí ele me deu um tapa. Eu lembro que no reflexo eu tentei empurrei ele, porque ele estava na beira da piscina e eu fiz para afastar ele. Só que eu não consegui nem chegar perto, porque ele me deu um murro”, relatou.

“Eu caí tão forte, que eu bati na mesa, a mesa foi para trás e eu fui para o chão. Eu bati a cabeça no chão e não consegui levantar, porque eu estava tonta e meus amigos foram me ajudar”.

A jovem relatou também que chegou a cortar a língua com o impacto causado pelo muro e pela queda. O suspeito fugiu do local com os amigos.

“Eu já levantei cuspindo sangue, porque cortou minha língua. Eu levantei, todo mundo veio para cima, eu pedi para me levarem para perto do banheiro, porque eu queria chorar”.

“Todo mundo revoltado com ele, com a situação. Ele e os amigos dele saíram imediatamente do local. Saíram gritando, xingando todo mundo, sacou arma, foi péssimo”, contou

Em nota, a Polícia Civil informou que a 1ª Delegacia Territorial (DT) de Porto Seguro investiga uma ocorrência registrada no domingo (18), pela vítima, que informou ter sido agredida por um policial militar em um evento na BR-367. Afirmou também que foi expedida a guia para exame de lesão corporal.

O homem apontado pela agressão atua o 8º Batalhão da Polícia Militar em Porto Seguro. Por meio de nota, o comandante da unidade informou que vai abrir uma sindicância para apurar o fato.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 2 =