Polícia apura denúncia de exercício ilegal da medicina em UTI de hospital da Bahia; suspeito diz que atuava no administrativo

Homem atuava no Hospital Cristo Redentor, em Itapetinga/crédito: Divulgação

A Polícia de Itapetinga, cidade do sudoeste da Bahia, investiga o exercício ilegal de medicina cometido por um estudante, que atuava como médico e interno na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Cristo Redentor.

Policiais civis foram até a unidade de saúde na terça-feira (23) após denúncias anônimas. De acordo com o coordenador regional de polícia, Roberto Júnior, a equipe foi até a UTI e constatou o estudante estava dentro do setor restrito aos profissionais da saúde, vestido com um jaleco branco, usados por médicos, que tinha a inscrição “medicina”.

Segundo a polícia, o homem negou ser médico e afirmou ser estudante de medicina no Paraguai. Ele também contou que se encontrava no local, porque exercia uma função administrativa.

Os demais profissionais de saúde da UTI foram intimados para prestarem depoimento, porém ao serem questionados sobre a função dele, entraram em contradição. Alguns afirmaram que ele cumpria função administrativa e outros disseram que ele era estagiário de medicina.

Entretanto, a polícia revelou que todos os funcionários o chamaram de “doutor”. O órgão revelou que instaurou inquérito policial para apurar os fatos, porque receberam informações que possíveis óbitos na UTI do hospital podem ter acontecido por imperícia do estudante.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − oito =