Homem conhecido como “cavalo do cão” é preso após matar cadela com golpes de facão na zona rural de Paulo Afonso

Um homem conhecido como “Cavalo do Cão” foi preso suspeito de matar o cachorro de uma família com golpes de facão no povoado São José, em Paulo Afonso (BA). De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi na direção do animal e desferiu um golpe de facão no focinho da cadela de nome “Sereia”, quando o animal dormia na calçada de casa. O suspeito fugiu em seguida.

Testemunhas disseram que o animal foi socorrida por moradores, que também denunciaram o caso para a polícia. O animal recebeu tratamento da ARDAP que é conhecida por ajudar cães e gatos machucados ou abandonados. Uma veterinária foi acionada também. Pouco depois de ser socorrida, “Sereia” não resistiu aos graves ferimentos — na boca, no crânio e no focinho — e morreu. O crime aconteceu no dia 09 de Dezembro.

Após a morte do animal, a Justiça decretou a prisão do suspeito identificado como Alan da Silva Lima, vulgo “Cavalo do Cão”, conforme a nova lei dos maus-tratos a animais, sancionada em setembro de 2020 pelo presidente Jair Bolsonaro.

Mesmo com a prisão preventiva decretada, ele seguia foragido da justiça. Segundo as apurações da polícia, o homem também seria suspeito de furtar uma moto e de intimidar outros moradores no povoado São José.

Durante patrulhamento nesta quinta-feira (28/01), ele foi abordado pela Polícia Militar e recebeu voz de prisão em flagrante por furto, sendo conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Paulo Afonso. Na delegacia, ele tentou esconder sua identidade, mas foi enquadrado na nova lei de maus-tratos a animais, sem fiança e com pena de dois a cinco anos de prisão em casos de agressões ou morte de cães e gatos.

A prisão preventiva foi decretada em Dezembro, depois de pedidos dos delegados João Henrique e Eduardo Wanderley, da Delegacia de Polícia Civil de Paulo Afonso. Desde a nova lei, que elevou as penas, este é o primeiro caso no plantão de Paulo Afonso e o primeiro com prisão preventiva decretada, afirmam as autoridades.

O homem segue preso, o facão ainda não foi localizado e a polícia deve concluir o inquérito nos próximos dias.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 14 =