Vídeo: Duas mulheres passam por sessão de tortura e uma delas é morta a pedradas em Lauro de Freitas

Duas mulheres foram levadas ao “tribunal do crime” e passaram por uma sessão de tortura nesta quarta-feira (6), em Itinga, Lauro de Freitas, cidade da Região Metropolitana de Salvador (RMS). Espancadas por traficantes da região, as vítimas sofreram com chutes, pontapés, pedradas e golpes de madeira. Uma delas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no local. Ana Cláudia Santos Neves tinha 42 anos. A outra vítima, que não teve a identidade revelada, foi socorrida e, segundo moradores, hospitalizada em uma unidade de saúde.

O crime aconteceu na Rua da Pedrita, em plena luz do dia, em um campo de futebol, próximo ao Residencial Dona Lindú. As cenas das agressões foram gravadas e compartilhadas em grupos de WhatsApp do bairro. Ao Bnews, um morador, que não quis se identificar por temer retaliações, afirmou que essa é uma maneira da facção criminosa demonstrar o controle do tráfico de drogas.

“O fato é que não aguentamos mais, eles [traficantes] batem e espancam pais de família. Batem em você apenas por cismar com sua cara. Cobram taxas, é um horror. Estão controlando o residencial há pelo menos um ano”, disse.

Nas imagens é possível ver três homens com pedaços de madeira atingindo a sobrevivente nas pernas, nádegas, braços e tórax. Ela recebe os golpes sem esboçar reação enquanto se recosta em um muro do que parece ser uma casa em construção. Em um determinado momento, a mulher se desequilibra ao ser atingida na perna direita. Durante a tortura, um quarto homem que grava a cena diz: “E aí, meu velho, vai fazer o quê mesmo? Estamos ‘dando pau’, quer ‘caçar ideia’”.  As agressões da mulher que acabou não resistindo aos ferimentos também foram gravadas.

À reportagem, a polícia militar confirmou a morte de uma mulher na Rua da Pedrita na quarta. Em nota, a PM informou que policiais da 81ª CIPM (Itinga) foram acionados após serem informados que um corpo de uma mulher havia sido encontrado, por volta das 17h, no endereço. “ Quando chegou ao local a guarnição isolou a área e aguardou a chegada da equipe de perícia”, diz trecho da nota.

Também em nota, a Polícia Civil informou que o corpo de Ana Cláudia foi encontrado com ferimentos na cabeça, possivelmente causados por pedradas e arma branca. “A Equipe apurou no local que a vítima trabalhava como prostituta, vendia drogas e já havia sido presa por tráfico em ocasiões diversas. Testemunhas informaram que ela teria relatado recentemente que possuía dívidas de drogas e que poderia ser morta por traficantes”, disse a comunicação do órgão. O caso está sendo investigado pela 27ª Delegacia Territorial do bairro de Itinga.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =