Diretor do presídio de Paulo Afonso rebate denúncias de maus-tratos a presos

Alexandro Reprodução/redes sociais

Alguns familiares de detentos do Complexo Penal de Paulo Afonso denunciaram que os presos estão sendo vítimas de maus-tratos. Eles informam que os presos passam das 08 até às 17 horas tomando banho de sol, tempo que avaliam ser muitas horas embaixo do sol e sem espaço com sombra.

Em entrevista para uma rádio local, o diretor da Unidade Prisional, Alexandro Silva, rebateu as denúncias dos familiares dos detentos. Ele explica que o banho de sol é feita de forma padrão como outros presídios estaduais e há local com sombra.

“Isso é uma pressão que eles fazem com as famílias e as famílias vão pressionar mesmo. Agente está mudando um procedimento e era um procedimento que há muito tempo já deveria ter sido feito. Os presos aqui em Paulo Afonso ficavam nos corredores em frente às celas com as celas abertas e isso não pode, até por que eles utilizam essas celas abertas para praticar algum tipo de ilícito”, declarou.

Sobre o banho do sol dos detentos, o diretor explica que segue o procedimento utilizado em qualquer unidade prisional. “Todos os presos vão para o banho de sol. O que é um banho de sol? é um direito do preso. Há um local adequado para isso, inclusive os de Paulo Afonso, aqui são dois módulos com a construção recente, projetado pra ser presídio. Esse solário onde eles fazem o banho de sol é coberto, tem uma parte que tem o sol, para aqueles que querem ficar um tempo no sol, mas tem uma parte, a metade do pátio é coberta, tem mesas de alvenaria, cadeiras de alvenarias para que eles sentem, banheiros”, disse.

Segundo o diretor, os presos pressionam as famílias para que voltem o procedimento anterior, mas segundo Alex, isso não vai acontecer. E ressalta que convida as instituições, imprensa, judiciário para vim verificar que o local é adequado para o banho de sol.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 4 =

Veja também