Sem saber o que fazer, pauloafonsino sofre com carro clonado no Interior da Bahia

Na manhã de ontem (17), mais um caso surpreendente de clonagem foi denunciado à equipe de reportagem do ChicoSabeTudo.

Um pauloafonsino teve o seu veículo clonado na cidade de Simões Filho no interior da Bahia. Ao receber as multas e ver que o veículo não era o seu, ele não teve dúvidas, foi à Delegacia de Polícia e registrou um Boletim de Ocorrência.

Depois, de posse do documento, foi ao CIRETRAN de Paulo Afonso para resolver sua situação. No entanto, o que já era ruim, tornou-se motivo de revolta e indignação. NO CIRETRAN, segundo o pauloafonsino, que preferiu não se identificar, quando tentava cancelar a “multa”, foi dito a ele que NADA poderia ser feito.

Carro Clonado
Carro do pauloafonsino

Após sair do CIRETRAN, ele procurou um advogado e, agora, busca na Justiça,solução para o seu problema.

Mas, qual a maneira certa de proceder numa situação dessas?

Primeiro passo: busque indícios, provas e registros que comprovem que você não estava naqueles dias, horários e locais das multas. Como? Você pode juntar notas fiscais, comprovantes de estacionamento, registro do sistema de segurança de sua casa ou outro local que esteja, fatura de cartão de crédito, e porque não, postagens em redes sociais.

Com isso em mãos, você deve realizar o registro de um Boletim de Ocorrência. Leve também documento pessoal, documento do carro, as multas ou listagem das penalidades do site do DETRAN.

Feito esse registro, vá até o DETRAN e solicite o registro de suspeita de clonagem. Você pagará a taxa de vistoria do seu automóvel, a qual você deverá ter sempre eu seu veículo junto da Ocorrência Policial. No DETRAN, além da taxa paga, será exigido documento de propriedade dele, carteira de habilitação, ocorrência policial e multas de trânsito.

Esse procedimento servirá para que o clone seja identificado, pois a informação de suspeita de clone ficará informada no sistema. O veículo que não estiver, portanto o Boletim de Ocorrência e Vistoria, será retido e considerado o “clone”. Muito bem…, mas e as multas?

As multas deveram ser questionadas através de recurso, anexando toda a documentação da suspeita de clone, além da comprovação de que você não estava naquele local, dia e horário, ou seja, de que não poderia ser você o infrator de trânsito. Além de documentos, em caso de multas com registro de imagem, você também pode buscar características do clone que sejam diferentes do seu. O recurso será julgado, e através dele que as multas serão anuladas, não se exigindo o pagamento da multa, nem sendo registrados os pontos na habilitação do condutor.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =