Mais protestos no Presídio de Paulo Afonso

Hoje pela manhã (30/03), os presos  se recusaram a tomar o café, ameaçando e colocando em risco a vida dos agentes penitenciários e dos policiais que trabalham no local.

Novamente o Cap. Ângelo, comandante do GTM, foi chamado para mediar a situação: ele mobilizou  bombeiros, cerca de oito viaturas e mais de 30 policiais chegaram ao local para mais uma vez garantir a segurança da sociedade pauloafonsina. A situação foi contornada e sob a vigilância da PM, os presos iniciaram o café da manhã perto das 10 horas.

Desta vez  não foi quebrado nada, mas os agentes penitenciários, mesmo com a volta das regalias dos presos (televisores, ventiladores e dvds) em quase todas as celas, temem por  suas vidas, pois constantemente são ameaçados.

“- A situação só acalma quando a PM chega”, falou um dos agentes penitenciários a nossa Equipe de Reportagem.

O Presídio de Paulo Afonso, para o  regime fechado, foi projetado para ocupar cerca de 65 presos e hoje conta com quase 175 detentos.

Durante nossa reportagem hoje pela manhã, vários parentes de detentos se amontoavam na frente do presídio procurando informações e o GTM continua de alerta no local.

Durante a rebelião ontem, vários ventiladores quebrados, camisas e colchões queimados.

Fotos de Hoje:[nggallery id=118]

Da Redação ChicoSabeTudo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × três =

Veja também