20º Batalhão de Luto: “Adeus Sargento Jaime…”

Hoje (02/01/2011), por volta das 11h00min, faleceu o Sargento da Polícia Militar, lotado no 20º BPM de Paulo Afonso, Jaime Santos de Oliveira, 58 anos.

“Seu Jaime”, como era conhecido, sofreu um infarto fulminante durante a madrugada, porém sua morte apenas foi constatada por volta das 11h00min.

O velório está sendo realizado no 20º BPM e o enterro será amanhã (03/01/2011), às 16h00min, no Cemitério São Lucas no Bairro Tancredo Neves 3.

Do amigo e companheiro Sargento Jaime, fica o exemplo de uma pessoa integra que sempre lutou para melhorar a Segurança Pública de nossa cidade. Poucas não foram às vezes que tirou dinheiro do próprio bolso para repor as peças das viaturas do Batalhão, poucas também não foram às vezes que de madrugada, na sua folga, ia rebocar ou consertar uma viatura quebrada durante o serviço Policial.

Alguns podem chamá-lo de ingênuo por essas atitudes, eu prefiro dizer ele expandiu juramento que fez ao se tornar policial, e se tornou para os praças de Paulo Afonso um ícone de trabalho e dedicação.

Segue abaixo o depoimento do Sd Rivelino, colaborador do nosso site, sobre o Sargento Jaime:

“O Sargento Jaime era um homem íntegro e totalmente devotado ao serviço Policial Militar. Grande parte de sua carreira profissional foi dedicada ao serviço de Transporte e Manutenção (STM) do 20º BPM. Na época em que o batalhão era apenas um Pelotão da 4ª CIA do 4º Batalhão de Alagoinhas, o Sargento Jaime trabalhou alguns anos como motorista de Radiopatrulha e logo depois entrou para a garagem, onde permaneceu até a sua aposentadoria.

Foi um dos pioneiros da prática esportiva dentro do batalhão, onde foi homenageado com a criação do BABA DO CABO JAIME, local onde posteriormente foi construído o Hotel de Trânsito pelo então comandante da 2ª CIPM, o Capitão Carvalho Melo. Realizou inúmeras campanhas beneficentes em prol de companheiros presos e de viúvas de colegas falecidos. Elogiado por todos os comandantes de batalhão que passaram pela unidade, recentemente foi elogiado também pelo comandante Geral, o Coronel Mascarenhas.

Foi um dos grandes incentivadores para que familiares seus entrassem para a Polícia Militar. Seu Jaime já estava na reserva, há alguns anos. Tinha verdadeiro amor pela profissão e não aceitava o fato de ser forçado a se afastar da função, por conta de sérios problemas de saúde. Um grande exemplo de profissional que tinha tatuado em seu coração o Brasão da Polícia Militar, que fazia do seu local de trabalho, a sua casa e dos seus colegas, a sua verdadeira família.”

Descanse em paz seu Jaime!

Fotos:

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer

Da Redação ChicoSabeTudo

Comentários