PM e guarda são execultados em bairro da Grande Salvador

O soldado da Polícia Militar Ajadilson Lima de Brito, 44 anos, e o guarda municipal de Salvador Everton Cerqueira dos Santos, 28, foram executados a tiros, por volta de 11h40 desta quinta-feira, 30, na Praça Martiniano Maia, próximo à Prefeitura de Lauro de Freitas (Grande Salvador).


Investigadores da delegacia local (23ª CP) disseram trabalhar com a hipótese de o duplo homicídio ter sido cometido em decorrência de um acerto de contas. Eles se baseiam nos antecedentes do militar, conhecido como Pato Rouco, que respondia à acusação de assassinato e a inquérito por outros delitos.

Relatos de testemunhas indicam que as vítimas estavam à sombra de uma árvore, quando foram abordadas por dois desconhecidos que chegaram em uma motocicleta vermelha. Em circunstâncias ainda não esclarecidas, os assassinos abriram fogo contra Brito e Santos, alvejando-os na cabeça. Os dois morreram no local. Os atiradores fugiram na motocicleta e estariam acompanhados de outros criminosos, a bordo de um Ford Ecosport prata, também de acordo com testemunhas. Os investigadores apuraram que Brito e Santos se conheciam do bairro de Castelo Branco, em Salvador, onde moravam.
Nota PMBA

A Polícia Militar da Bahia afirmou, em nota enviada à imprensa, que o policial Ajadilson Lima de Brito, 44, morto nesta quinta-feira (30), em Lauro de Freitas, foi afastado temporariamente da função em 2008, por problemas psicológicos. No mesmo período, o soldado foi preso acusado de homicídio, e permaneceu custodiado no Batalhão de Choque até dezembro de 2009, quando foi solto por ordem judicial.  No texto, a corporação afirma ainda que em maio de 2010, o PM foi julgado e foi considerado incapaz de exercer a função. Ele respondia também a inquérito civil por seqüestro, formação de quadrilha, posse ilegal de arma e homicídio.

Da Redação ChicoSabeTudo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =

Veja também