Divulgação Time do Botafogo

Com o início de um novo mês batendo à porta e quase quatro meses sem receber salários, os funcionários do Botafogo se organizaram em um "pedido de socorro" (veja abaixo). A iniciativa partiu dos trabalhadores do Estádio Nilton Santos, que admitem a possibilidade de não irem trabalhar na próxima semana.

"Nós, os funcionários do Botafogo de Futebol e Regatas, vimos por meio desta nota pedir socorro quanto à nossa situação. São chefes de família, mães que sustentam as sua casas. O descaso conosco está inadmissível, nenhuma satisfação e nenhuma garantia da presidência quanto aos nossos pagamentos. São quatro meses nessa angústia e nem uma palavra da presidência para os funcionários. Temos contas a pagar, temos aluguéis para pagar e, acima de tudo, temos dignidade e honra para termos as nossas contas em dia, o que nesse momento está nós faltando. Nós, os funcionários do Botafogo de Futebol e Regatas, estamos pedindo SOCORRO", diz a carta.

A principal crítica dos funcionários está na falta de diálogo da diretoria. Eles alegam que nos últimos meses não houve contato do clube para explicar a situação e dar uma satisfação pelos recorrentes atrasos.

O ge procurou o Botafogo, que se manisfestou por meio do presidente Nelson Mufarrej. O mandatário informou que a diretoria prevê quitar mais um mês de salários com os funcionários nos próximos dias.

- É prioridade no clube a busca por soluções na questão salarial. Não vou me justificar com penhoras, dívidas e dificuldades do mercado publicitário, pois sobre essa realidade todos já estão cientes e conscientes. O torcedor e nossos funcionários acompanham o nosso dia a dia. Prefiro falar com sinceridade que, como presidente, vou seguir me empenhando ao máximo para resolver esse problema de caixa que nos asfixia.

- Hoje acertamos mais um mês de salários dos atletas, além de algumas imagens atrasadas, e amanhã será depositada em juízo uma quantia oriunda de direitos de transmissão, que será utilizada integralmente para abater mais um mês com funcionários, o de abril, com o apoio do Sindeclubes. Essa operação vai levar mais uns dias para ser concluída devido aos trâmites envolvendo tribunal e sindicato. Nas próximas semanas, esperamos aliviar outro mês com os nossos funcionários, enquanto buscamos em paralelo, através do nosso comercial e marketing, negócios para fazer a roda girar.

- Registro também o empenho de nossos funcionários, mesmo com todas as dificuldades, pela dedicação sem igual ao Botafogo. A nossa torcida também tem sido extremamente importante nesse momento. Vamos virar esse jogo - afirmou Mufarrej.

O último pagamento aos funcionários aconteceu no dia 13 de julho, quando o clube quitou o que restava de março e 12% de abril. A pequena parcela gerou indignação entre os trabalhadores, que têm a receber o restante de abril, maio e junho. Julho vence na próxima quinta-feira. Na ocasião, o ge ouviu alguns funcionários, que relataram dificuldades.

Aos jogadores, o Botafogo deve junho. Conforme informou Nelson Mufarrej, o clube quitou o mês de maio com o elenco nesta quinta-feira. Com julho a vencer, o clube se movimentou para evitar três meses de atrasos, o que permitiria que atletas se desvinculassem por meio da Justiça.