Jorginho comenta as vaias da torcida do Bahia

Em entrevista coletiva após o empate do Bahia com o Fluminense, o técnico Jorginho comentou sobre a pressão e as vaias recebidas pela torcida tricolor.

"Se acontecer, por exemplo, o que não é o caso aqui, sinceramente quero dizer que a minha diretoria é muito consciente, apesar de ter um vice-presidente e um presidente muito jovens, eles são extremamente experientes. Eu quero dizer que se (Vagner) Mancini foi mandado embora (da Chapecoense, na última terça-feira) tudo pode acontecer. Eu não tenho nenhuma preocupação. Aconteceu isso comigo no Figueirense em 2012, eu entrei em campo, na primeira vez que disputei um jogo no (estádio Orlando) Scarpelli, fui vaiado pela torcida. E eu falei na época que eu iria sair dali com a torcida pedindo para eu ficar. E eu digo que vou sair daqui (Bahia) ou permanecer aqui com a torcida me pedindo para ficar. O torcedor é muito passional. Eles vaiaram quando estávamos perdendo, quando empatamos já não tinha mais vaia. Estou tranquilo, porque é um bom trabalho. Não dá para medir o trabalho de um treinador de 21 pontos ele só ganhou três. Mas desses 21, seis pontos tivemos erros de arbitragens absurdos como foi o caso do jogo contra o Palmeiras e contra o Flamengo. A gente não está tão distante assim não. Os jogadores acreditam no trabalho. Mas estou consciente de que o meu trabalho depende muito de resultado", disse.

O Bahia se mantém na 16ª posição no Campeonato Brasileiro. O próximo compromisso do Esquadrão é contra a Ponte Preta, na próxima quarta-feira (12), às 19h30, no estádio Moisés Lucarelli.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =

Veja também