Palmeiras domina seleção da Bola de Prata, e Marinho fica fora por critério de desempate

O Prêmio Bola de Prata, troféu entregue aos melhores jogadores do Campeonato Brasileiro desde 1970, teve seus vencedores conhecidos nesta segunda-feira (12), em São Paulo. Como esperado, o campeão Palmeiras dominou a seleção do campeonato, com seis entre os 11 escalados, além do técnico Cuca. O atacante Gabriel Jesus também levou a Bola de Ouro, prêmio dado ao melhor jogador da competição.

A seleção do Brasileirão 2016 tem Jailson (Palmeiras), Jean (Palmeiras), Geromel (Grêmio), Réver (Flamengo) e Fábio Santos (Atlético Mineiro); Tchê Tchê (Palmeiras), Willian Arão (Flamengo), Moisés (Palmeiras) e Dudu (Palmeiras); Gabriel Jesus (Palmeiras) e Robinho (Atlético Mineiro) – o atacante Dudu foi escalado como meia. Cuca foi escolhido o melhor técnico e ficou com a Prancheta de Prata, honraria criada neste ano pela ESPN e Sporting Bet, realizadores da premiação.

Marinho teve a mesma média (6,41) de Robinho, do Atlético Mineiro, que entrou na seleção ideal porque o critério de desempate é ter disputado mais partidas. Robinho jogou 29 das 38 rodadas; Marinho, 27.

O atacante palmeirense Dudu foi escalado como meia e foi justamente esse "truque" que o garantiu na premiação. Dudu teve média 6,30 e, se fosse analisado como atacante, sua real posição, quem ganharia o prêmio seria o meia Diego Souza (média 6,23), do Sport, já que tradicionalmente o time é montado no esquema tático 4-4-2. Como atacante, Dudu não entraria na seleção mesmo que o esquema tático fosse o 4-3-3. Nesse caso, Marinho ganharia o prêmio.

As notas dos jogadores são dadas por jornalistas da Placar e da ESPN, rodada a rodada. Gabriel Jesus, com média 6,48, ganhou a Bola de Ouro em um ano perfeito para ele profissionalmente: campeão brasileiro, camisa 9 da Seleção e vendido ao Manchester City, da Inglaterra, clube ao qual vai se apresentar em janeiro.

Uma novidade do Bola de Prata foi a escolha do gol mais bonito através de votação popular. Camilo, do Botafogo, ganhou o prêmio pela bicicleta que deu contra o Grêmio, pela 19ª rodada, no estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro. Camilo tinha cinco concorrentes e recebeu 40% dos 2912 votos.

Um detalhe curioso: Fred (Atlético Mineiro), Diego Souza (Sport) e William Pottker (Ponte Preta) dividiram a artilharia da Série A com 14 gols, mas nenhum dos três entrou na seleção do campeonato. Desde 1990, quando Charles foi artilheiro pelo Bahia com 11 gols, o Brasileirão não tinha um artilheiro tão "econômico". Naquele ano, o Bahia jogou 26 partidas, 12 a menos que os times jogam atualmente.

Pela primeira vez, o futebol feminino foi incluído na festa. E coube à baiana Formiga ser a primeira mulher a receber a Bola de Prata. A escolha de Formiga foi pelo que ela representa para o futebol feminino brasileiro e mundial. A meia participou das seis edições da Olimpíada que a modalidade fez parte e disputou seis Copas do Mundo. Aos 38 anos, integra a seleção brasileira desde 1995. Não à toa, é recordista de jogos com a amarelinha: 151.

Dona Ilaídes, mão do goleiro Danilo, da Chapecoense, morto no acidente aéreo com o avião do time catarinense na Colômbia, também foi homenageada.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + catorze =