Argel Fucks elogia evolução da zaga do Leão e confirma time titular para amanhã

Victor Ramos ainda está sem moral na Toca do Leão. Desde que andou fora da linha e foi afastado por faltar a um treino – um dia após ser visto em uma festa em São Paulo, enquanto tratava de uma lesão no pé -, o jogador ainda não sentiu o gostinho da titularidade. Nesse meio tempo, o técnico Argel Fucks assumiu o comando técnico do Vitória.

E ele vai esquentar o banco também no próximo jogo do rubro-negro, contra o São Paulo, amanhã, às 16h, no Barradão. Argel armou o time com Kanu, que retorna de suspensão, e Ramon na zaga e adiantou que eles serão titulares.

“Não costumo adiantar escalação, mas, para mim, time que treina é time que joga. Fizemos coletivo e foi aberto. O time que treinou comigo é o que vai jogar. É dessa forma que trabalho. Não faço coletivo de madrugada, não sonho que tal jogador vai jogar, nada disso”, adianta o técnico, acrescentando que só mudará os planos caso algum jogador se machuque.

Com isso, o Vitória vai jogar com Fernando Miguel, Diogo Mateus, Kanu, Ramon e Diego Renan; Willian Farias, Marcelo e Cárdenas; Marinho, Kieza e Zé Love.

Se a ausência de Victor Ramos é resquício da falta do jogador ou não, pouco importa. Fato é que desde que Argel assumiu o Vitória, a defesa sofreu menos gols. Foram apenas dois jogos, um com Ramon e Kanu e outro com Ramon e Vinícius, com um gol sofrido – que custou caro e culminou  na derrota para o Botafogo.

Apesar dos números apontarem um triunfo e uma derrota, Argel está mais feliz com o que tem visto. “São duas partidas e tomamos um gol só. Já melhorou em relação ao que era. Quando você faz um trabalho defensivo, consegue posicionar defesa e ataque, trabalhar os dois em confronto. Com isso, conseguimos a evolução da equipe”, analisa.

O treino de ontem, por exemplo, teve uma sessão voltada para os defensores titulares contra o ataque reserva. Apesar de enxergar melhoria, o técnico alerta: paciência é fundamental para evitar o rebaixamento. “A evolução não é do dia para a noite. Vejo o time mais organizado, mais compacto, sofrendo menos gol. Ganhamos fora, sem sofrer gol, o que não acontecia desde o jogo contra o Grêmio. Estou feliz porque enxergo evolução. Vejo que eles estão assimilando o que eu pedi”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 16 =