As diferenças da Seleção Olímpica de 2012 para a de 2016

A medalha de ouro sempre foi um sonho de consumo para o futebol brasileiro e isso nunca foi segredo para ninguém. Como pode a Seleção pentacampeã do mundo, de Pelé, Garrincha, Zico, Romário, Ronaldo e tantos outros nunca ter conquistado os Jogos Olímpicos.

Muitas foram as tentativas mas todas fracassadas. A mais recente foi em Londres, em 2012. Com uma Seleção recheada de craques e bastante promissora o Brasil chegou até a final mas infelizmente acabou sendo derrotado para o México por 2 a 1 e ficou com a prata.

Nomes como Marcelo, Thiago Silva, Neymar, Danilo e Oscar integraram o grupo que disputou o torneio na Inglaterra. No banco de reservas, Mano Menezes era o comandante, e na ocasião também técnico da Seleção principal.

Da lista dos 18 convocados em 2012 para os 18 convocados de 2016 notamos algumas diferenças:

Com Thiago Silva, Mano Menezes optou por um zagueiro experiente, já Rogério Micale preferiu um goleiro (Fernando Prass).

Mano também levou um lateral (Marcelo) e um atacante (Hulk) acima da idade, enquanto o atual treinador chamou um meia (Renato Augusto) e um atacante (Neymar).

Outra curiosidade é que em 2012 a Seleção Olímpica tinha 11 jogadores que atuavam no futebol europeu, este ano são apenas 4 mais o Renato Augusto que atua no futebol Chinês.

Em 2012 o Brasil tinha no gol, Gabriel e Neto, hoje a Seleção vai com Fernando Prass e Uilson.

Na lateral jogadores promissores como Alex Sandro, Rafael, Danilo e o já consagrado Marcelo. Em 2016, Douglas Santos, Zeca e Willian, lembrando que Marquinhos também pode ser deslocado para a função.

Na zaga Mano Menezes levou Thiago Silva, Juan Jesus e Bruno Uvini. Micale vai com Luan, Rodrigo Caio e Marquinhos.

No meio-campo, o Brasil levou apenas dois volantes de marcação dois armadores e um ponta. Sandro, Romulo, Lucas Moura, Ganso e Oscar. Para a Olímpiada do Rio os marcadores foram deixados de lado e Micale optou por jogadores com passe mais refinado como Walace, Thiago Maia, Rodrigo Dourado e Felipe Anderson, Renato Augusto que é quase um coringa completa a lista.

Em Londres, o ataque da Seleção Brasileira era muito forte, com Hulk, Neymar, Leandro Damião e Alexandre Pato. No Rio, a força será mantida com Neymar, Gabigol, Gabriel Jesus e Luan.

Desta vez dentro de casa, com jogadores que conhecem bem os estádios e a torcida, o Brasil tem tudo para conquistar a tão sonhada medalha e acabar de vez com esse jejum.

No grupo A do torneio de futebol, o Brasil estreia na competição no dia 4 de agosto, contra a África do Sul, em Brasília. Três dias depois, encara o Iraque no mesmo estádio e no dia 10, encerra a participação na primeira fase contra a Dinamarca, em Salvador.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − quatro =