Paulo Afonso: I Mostra Cultural e Esportiva da Capoeira

No último sábado aconteceu no Centro Cultural Lindinalva Cabral a I Mostra Cultural e Esportiva da Capoeira, onde 5 grupos da cidade se apresentaram dividindo as diversas possibilidades que a capoeira pode oferecer ao praticante.

Um evento que pôde integrar cultura, arte, esporte, dança, curiosidades e belezas. Foram disponibilizados 5 stands para que os grupos pudessem expor seus instrumentos, vídeos, objetos de venda, material de divulgação. Proporcionando assim um espaço para que essa arte seja propagada na nossa cidade. A capoeira ainda tem uma expressividade muito tímida em Paulo Afonso e ações como essa contribuem para que esse esporte que é mundialmente conhecido venha a crescer ainda mais aqui.

Crédito: Acerte Paulo Afonso

Para a abertura do evento, o grupo Capoeira Brasil das Gerais fez uma apresentação de samba de roda com uma encenação dos pescadores que, após a pesca, se reuniam para confraternizar dançando e fazendo o uso dos instrumentos que utilizavam nas rodas de capoeira.

Em seguida, o grupo Arte Brasil fez uma apresentação da capoeira de Angola, onde o mestre Pastinha foi homenageado com um texto seu onde dizia que “o bom capoeira não suja a roupa e nem perde o chapéu”, significando a “malícia” do jogo. Um jogo mais encaixado, mais manhoso, com uma música mais lenta e cadenciada.

Crédito: Acerte Paulo Afonso

O terceiro grupo a se apresentar foi o Capoeira Brasil com o Maculelê, onde os capoeiristas estavam devidamente caracterizados usando saias de sisal e pinturas no rosto. O maculelê é a simulação de uma luta que utiliza como armas 2 bastões ou facões (em um grau mais avançado). Para essa apresentação, o grupo fez a demonstração da dança tanto com bastões, quanto facões como também bastões com fogo.

Entrando mais no regionalismo da capoeira, o grupo Libertação trouxe a capoeira com o toquebanguela, um toque mais lento da capoeira regional, que é utilizado no início da roda para acalmar os ânimos. Um jogo mais cadenciado, de chão, malicioso.

E para finalizar, o grupo Muzenza trouxe o estilo São Bento grande. Com uma roda de capoeira mais apertada onde os capoeiristas precisam mostrar suas habilidades em um espaço pequeno da roda. Um jogo mais rápido e um pouco mais agressivo onde a agilidade de ataque e defesa são essenciais para se sair ileso da roda. Nesse momento todos os grupos se misturaram na roda gerando uma grande confraternização.

Veja mais fotos (Crédito: Acerte Paulo Afonso)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =