Eterno mascote, Railan justifica a sua saída: ‘tudo tem seu tempo’

Foram quase seis anos de clube vividos numa intensidade que só Railan poderia descrever. Ao assinar um pré-contrato com o Inter de Lages, time do interior de Santa Catarina, o eterno mascote tricolor deixará o Bahia de uma maneira, no mínimo, embaraçosa.
 
“O Bahia me procurou tem cinco meses e me ofereceu uma renovação por mais um ano, sem nenhuma valorização  no contrato”, disse ele em entrevista ao CORREIO. Apesar disso, ele revelou guardar um carinho pelo tricolor. “Tudo que sou, como atleta e homem, devo ao clube. Quem me conhece sabe que sou grato”.
 
Railan ainda tem contrato com o Bahia até maio de 2016 e a diretoria analisa o caso para definir se ainda vai aproveitar o jogador no primeiro semestre, mesmo sabendo que não haverá como mudar o time, já que o novo vínculo com o clube de Santa Catarina está assinado, diferente do lateral Vitor, que tem contrato se encerrando no fim do ano.
 
Railan passou a ter o carinho da torcida tricolor antes mesmo de se tornar profissional. Em 2010, ano em que o clube conquistou o acesso à Série A, ele se vestia de Superman para entrar em campo com os jogadores representando o mascote do Esquadrão.
 
Sua irreverência, sempre com dancinhas e provocações aos adversários antes dos jogos, levava a torcida ao delírio. “Acredito que tudo tem seu tempo, mas nada na vida é eterno. Espero ainda dar alegrias a essa nação”, avisou. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + dezesseis =

Veja também