Vitória terá defesa com média de idade de 22 anos para o Ba-Vi

A juventude será a principal característica da defesa do Vitória para o clássico deste domingo. Com Léo, Dankler, Gabriel Paulista e Élton; a retaguarda do time treinador por Toninho Cerezo chega a uma média de idade de apenas 22 anos.

Nesta sexta-feira, o treinador destacou a inexperiência dos defensores e lamentou a indisponibilidade do zagueiro Victor Ramos para a partida diante do Bahia. O jogador não foi regularizado e ainda não pode estrear pelo clube.

– Temos um ou outro problema para a defesa. Perdemos o Wellington Saci por lesão. O Alan Henrique foi expulso na última rodada. Interessante seria se o Victor Ramos tivesse condições de jogo – ponderou Cerezo.

O treinador descartou começar a partida com o lateral Romário, 18 anos. O jogador foi relacionado e deve ficar no banco de reservas como opção para o segundo tempo.

– Se eu colocar o Romário, vira uma defesa de time juvenil – disse o técnico.

Para o jogo contra o Bahia, Cerezo deve escalar uma equipe com três volantes. Róbston, que foi regularizado e está na lista de relacionados, tem grandes chances de sair jogador.

– O Bahia é um time que atua com três volantes e ocupa bastante o meio de campo. Nós também fazemos isso. Sobre o Róbston, é muito bom jogador. Estamos contando com ele – afirmou.

Fonte: Globoesporte

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 5 =

Veja também