Lusa sofre apagão, empata com Ituano e empaca no Paulistão

Futebol envolvente, acesso no Campeonato Brasileiro e chamado de Barcelusa em 2011. Mas o ano não começou bem para a Portuguesa, que neste sábado à noite empacou novamente. Mesmo jogando no Canindé, a equipe sofreu um apagão. Levou um gol do Ituano, correu atrás e, na raça, conquistou um empate com o reserva Raí, que garantiu o 1 a 1 no marcador. Parou nos seis pontos, após cinco jogos pelo Campeonato Paulista.

Sem um armador e com atacantes isolados, a Portuguesa saiu atrás após um gol de Chapinha, no segundo tempo, mas conseguiu o empate. Mesmo assim, o elenco deixou o campo xingado pela torcida, que espera ainda algo melhor na competição. Terminou a noite apenas na décima posição. O Ituano, com quatro pontos, é o 14º na tabela.

A Portuguesa se reapresenta segunda-feira, às 8h30, no CT do Parque Ecológico do Tietê. O time se prepara para encarar o Guarani na quarta, às 19h30, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Na sexta rodada, Jorginho terá à disposição o lateral-direito Luis Ricardo, que cumpriu suspensão diante do Ituano.

Já a equipe do Interior também joga quarta, às 17h, no estádio Novelli Júnior. Em casa, o Ituano receberá o Bragantino. O técnico Ruy Scarpino espera esquecer a última partida, quando perdeu para o Corinthians, por 0 a 1. Na estreia, o Ituano fez 3 a 0 no Guaratinguetá.

Faltou caprichar
Quem chegava ao Canindé e via uma fila de carros imaginava que a torcida da Lusa lotaria as arquibancadas. Mas a aglomeração caminhava na contramão. O ginásio da Lusa, ao mesmo tempo do jogo, ficou lotado devido a um evento gospel. No estádio, apenas 2.006 pagantes.

Jorginho fez três mudanças na equipe que havia empatado com o Bragantino no meio da semana. Ivan no lugar do suspenso Luis Ricardo, Rogério e Ananias nas vagas de Leandro Silva e Raí. Pelo Ituano, o goleiro Roberto sentiu a virilha no aquecimento e Douglas assumiu a posição. Roberto ficou no banco em caso de necessidade.

O Ituano dominou os primeiros vinte minutos de jogo. A zaga da Lusa tinha dificuldade em marcar o experiente Evando (ex-Avaí), que assustou três vezes o goleiro Weverton. Mesmo com três à frente (Ananias, Henrique e Vandinho), os donos da casa erravam muitos passes e, com os setores distantes, encontravam sérias dificuldades na busca pelo gol.

Aos poucos, a Portuguesa dominou a posse de bola. A primeira chance surgiu apenas aos 37 minutos. Henrique partiu pela direita fez um belo cruzamento e Léo Silva pegou de primeira. A bola raspou a trave do Ituano. Um primeiro tempo fraco, com ambas as equipes com dificuldades no toque final.

Sofrimento
Jorginho e Ruy Scarpino não gostaram de seus atacantes. Vandinho e Evando saíram para as respectivas entradas de Rafael Oliveira e Michel. Sem um meia de criação inspirado, já que Marco Antônio deixou o clube, a Lusa não conseguia segurar a bola no meio e acionar seus atacantes. Resultado: chutes de longe sem risco e dificuldades para passar pela defesa do Ituano.

Pressionado pelo Ituano, que vinha de três derrotas, Jorginho mudou. Irritado, ele colocou Raí e Maylson para tentar dar agilidade ao time. Do outro lado, Otacílio Neto era a esperança. Mas o nível técnico era muito ruim, com passes errados, falta de criatividade e finalizações erradas.

O Ituano controlou o jogo e, aos 26 minutos, deu um banho de água fria. Após uma bola espirrada na área da Lusa, Chapinha, pela direita, chutou forte no canto baixo e Weverton e fez o primeiro gol. Logo depois, o meia deixou o jogo para a entrada de Escobar, volante de marcação.

A resposta da Portuguesa saiu dos pés de Raí, que entrou para aumentar a criação. Virou criador. Aos 28 minutos, o lateral-esquerdo recebeu uma bola perfeita de Léo Silva, entrou na área e chutou forte no meio do gol. O empate devolveu a esperança à torcida lusitana. Mas o time não teve força para virar.

Da Redação ChicoSabeTudo
Fonte: Globoesporte

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 11 =

Veja também