Teve reação após a vacina contra a covid-19? Isso pode ser um bom sinal; entenda

Reações como dor no braço, dor de cabeça, mal estar e febre são comuns após a aplicação das vacinas contra a Covid-19, seja qual imunizante for. O que nem todo mundo sabe, porém, é que esses sintomas podem indicar que o organismo está atingindo o objetivo principal da vacina: aprender a se proteger.

Ao instigar o sistema imunológico a produzir os anticorpos contra o coronavírus, a vacina acaba desencadeando uma inflamação. Esta reação inflamatória, por sua vez, leva ao surgimento dos sintomas, que tendem a desaparecer entre 24 a 48 horas após a aplicação.

Mas quem não teve febre ou mal estar não precisa se preocupar. A ausência dos sintomas não indica um fracasso do imunizante, segundo explica Isabella Ballalai, médica pediatra e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações.

“A reação inflamatória produzida pela vacina está relacionada à eficácia, mas não significa que na pessoa que não teve nenhuma reação, [a vacina] não funcionou. Mas, quanto maior for a reação inflamatória, maior a chance de efeitos adversos”, detalha.

Mal estar e dor no local da aplicação da vacina indicam uma reação do organismo ao imunizante

 

Diferença de idade nas reações

Uma situação que tem sido vista na campanha contra a Covid-19, segundo Ballalai, é a diferença de idade nas reações adversas. Na maior parte das vezes, as pessoas idosas têm tido menos reações em comparação aos mais jovens.

Isso se explica pelo envelhecimento do sistema imunológico, ou a imunossenescência. Ao envelhecermos, as células de defesa precisam de um tempo a mais para reagirem, e a resposta às vacinas pode ser menor – tanto na questão da eficácia/efetividade quanto nos efeitos adversos.

Como cuidar dos sintomas?

Como a maioria dos sintomas tende a desaparecer após dois dias, não se espera que a população faça um uso exagerado da medicação. Lembrando que o uso da substância sem orientação poderia levar a “eventos adversos graves, incluindo hepatite medicamentosa e morte”.

As doses máximas de paracetamol, de acordo com a idade, descritas pela Anvisa são:

  • Adultos e crianças acima de 12 anos: dose máxima de 4 gramas em um dia; 
  • Crianças entre 2 e 11 anos: não devem ser utilizados mais de 50-75 mg/kg em um dia (24 horas); 
  • Crianças abaixo de 11 kg ou 2 anos: consulte o médico antes de usar. 

Os especialistas lembram que, caso seja necessário, as pessoas podem adquirir remédios analgésicos, contra a dor, ou antitérmicos, contra a febre, mas não os anti-inflamatórios.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 3 =