Parentes de Tom Veiga suspeitam de envenenamento e cogitam exumar corpo

O ator Tom Veiga, intérprete do boneco de Louro José no programa Mais Você (TV Globo), de Ana Maria Braga, pode ter sido morto por envenenamento. É essa a suspeita levantada por familiares e pessoas próximas ao artista, de acordo com o colunista Leo Dias, do portal Metrópoles.

Tom morreu no dia 1º de novembro de 2020, quatro dias antes de uma audiência para divórcio de Cybelle Hemínio da Costa Veiga, ex-mulher de Tom. Segundo fontes do colunista, a família de Tom pensa em mandar exumar o corpo, pois suspeitam que o verdadeiro motivo de sua morte seria envenenamento.

Ainda conforme o site, Cybelle Hemínio teria conseguido que ele fizesse um testamento e a incluísse, tendo direito, inclusive, a uma pensão de R$ 18 mil por um ano. Tom teria tentado retirar o nome de Cybelle do inventário e vinte dias depois ele apareceu morto. Com isso, a família está pensando na possibilidade de análise do cadáver e, ainda, de tirá-la do testamento.

A herança de Tom Veiga é motivo de disputa cinco meses após a morte do humorista. Segundo o jornal Extra, Tom deixou em testamento 50% do que tinha para Cybelle Hermínio, e a outra metade para ser dividida entre os quatro filhos, fruto de seus dois casamentos anteriores. A divisão não satisfez a maior parte da família.

Tom e Cybelle foram casados por sete meses. Eles começaram o relacionamento no início de 2019. Em maio, Tom descobriu nódulos no pulmão e ficou preocupado, resolvendo fazer um testamento. Cybelle foi a principal beneficiada.

Depois disso, os dois se separaram, mas Tom não alterou o documento. Amigos dizem que depois do enterro do ator, quando todos tomaram conhecimento do testamento, ficaram surpresos. “Até por que os dois não se separaram numa boa”, contou uma pessoa que era próxima a Tom. “Tem muitos áudios e prints dela falando com os advogados dele que era para andarem logo com a papelada do divórcio porque ela queria se livrar dele logo”.

Um mês antes da separação, Tom e Cybelle foram a um cartório no Rio e trocaram a união estável assinada em dezembro de 2019 por uma certidão de casamento, com separação total de bens. Seis meses antes eles tinham casado no religioso.

Recentemente, Cybelle voltou às redes sociais, usando o nome de casada. “Vida, difícil escrever. Ainda é dolorido, mal escrevi essas palavras e lágrimas já rolam. Todas as noites, todas, sem exceção de nenhuma, você sabe das minhas orações”, escreveu. Ela ainda não se pronunciou sobre o pedido de exumação do corpo do ex-marido.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 20 =