Padre que criticou criança que foi abusada pede perdão e exclui conta na rede social

Após questionar em uma rede social a inocência da menina de dez anos que passou por um aborto autorizado pela Justiça em Pernambuco, o padre Ramiro José Perotto, da paróquia de Carlinda (762 km ao norte de Cuiabá), afirmou em carta aberta à imprensa que foi o responsável pelos comentários sobre o caso e pediu desculpas.

O religioso escreveu ontem (19) em seu Facebook que a criança moradora do Espírito Santo que era abusada desde os 4 anos de idade e acabou engravidando de um tio, era conivente com os abusos sexuais dos quais era vítima

“Duvido uma menina ser abusada com 6 anos por 4 anos e não falar. Aposto minha cara. Ela compactuou com tudo e agora é menina inocente. Gosta de dar então assuma as conseqüências”.

O comentário foi feito depois que ele compartilhou uma publicação do presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), contra o aborto legal realizado na menina. O post repercutiu mal.

O sacerdote excluiu as redes sociais, após receber inúmeras críticas. “As postagens foram excluídas por mim mesmo quando percebi inúmeros comentários que atacaram a minha defesa. Assumo a responsabilidade de ter proferido palavras desagradáveis”, disse, em carta aberta encaminhada à imprensa.

Mesmo após as postagens, o padre não foi afastado de suas funções e a Diocese de Sinop, que coordena a paróquia de Carlinda, não se manifestou sobre o episódio.

Veja a carta divulgada pelo padre:

Caríssimos. Eu, Pe. Ramiro José Perotto, pároco na Paróquia São Paulo Apóstolo, Carlinda, MT, venho por meio desta dizer-vos que assumo toda a responsabilidade de três postagens em meu Facebook sobre a defesa da vida, no caso do aborto ocorrido no último dia 17.

As postagens foram excluídas por mim mesmo quando percebi inúmeros comentários que atacaram a minha defesa. Assumo a responsabilidade de ter proferido palavras desagradáveis, e justifico que compartilho da defesa da vida, nunca condenar e tirar julgamentos.

Não foi minha intenção proferir palavras de baixo calão, as quais não comungam com minha fé e minha crença na pessoa humana.

Àqueles que se sentiram ofendidos, só resta meu pedido de perdão. Excluí meu facebook por não querer mais ofender e ser ofendido. Precisamos ser fraterno. Sempre peguei isso.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 10 =