Transexual ‘crucificada’ na Parada Gay diz ter sido agredida em SP

A modelo transexual Viviany Beleboni, que ficou conhecida pela performance na Parada Gay de 2015, quando foi "crucificada", disse ter sido agredida no final da tarde de segunda-feira (11), no Centro de São Paulo. Ela teria sido espancada por cinco homens, que também a xingaram.

"Não quero mídia, não quero nada disso. Estou em estado de choque, minha depressão e síndrome do pânico voltaram", disse Viviany ao portal EGO. Ainda de acordo com o portal, Sabrina Reis, amiga de Viviany, contou que a modelo saiu de casa para ir a um supermercado na Avenida Brigadeiro Luís Antônio e que ao deixar o local foi cercada por um grupo de homens.

Crédito: Arquivo Pessoal

"Ela está em choque, muito abalada, e não consegue falar nada. Está muito machucada e chora o tempo todo. Ficou com dois dentes moles, fora os ferimentos todos. Me contou que percebeu que alguns homens estavam olhando para ela na rua e que por isso apressou o passo, mas eles foram atrás", relatou Sabrina.

Ela disse ainda que após as agressões Viviany pegou um táxi e foi para casa, onde foi atendida por uns amigos médicos. "Viviany não quis ir ao hospital porque teria que fazer um boletim de ocorrência, e ela não quer. Porque está descrente, não acredita em mais nada", desabafou. Em agosto de 2015, a modelo disse ter sido esfaqueada em São Paulo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + quatro =