Guettho é Guettho faz homenagem a Nego Pom; enterro será hoje

O corpo do dançarino Marcos Venício Santos de Jesus, 32 anos, o Nego Pom, será sepultado no cemitério municipal de Pirajá, às 11h desta quinta-feira (23), segundo informações da produção da Banda Guettho é Guettho. 

No Facebook, a banda prestou uma homenagem ao dançarino morto com tiros e pedradas no bairro de Nova Constituinte. Em uma montagem com a foto da banda, o dançarino aparece com asas de anjo e é chamado de “Nego Anjo Pom”. Também foi postado um vídeo com fotos de Marcos Venício. 

Fãs da banda comentaram as publicações, lamentando a morte. “Lamentável, Deus o coloque em um bom lugar, e conforte a família e os parceiros, e lá se vai o nego, back mais foda que já ouvi dar a voz. Guetto tá de luto”, escreveu um fã.

“Que Deus lhe dê o descanso eterno, é uma tristeza muito grande pra todos nós perder um ser humano do bem dessa forma tão cruel, que Deus conforte a família e os amigos”, publicou outra fã.

Caminho errado

Guiado pelo GPS, o dançarino e produtor Marcos Venício Santos de Jesus, 32 anos, queria chegar em Vista Alegre. No entanto, acabou parando na Nova Constituinte, em Periperi, território da facção Bonde do Maluco (BDM), local onde foi atacado a tiros e pedradas, na tarde de terça-feira (21).

Segundo uma moradora da região, ele procurava sem saber uma pessoa ligada a uma facção rival. Marcos Venício, dançarino da banda Guetto é Guetto, morreu nesta tarde.

“Ele estava de moto e visivelmente perdido. Perguntou como fazia para chegar em Vista Alegre, porque tinha que pegar o dinheiro na mão de um tal Jefinho para pagar a banda que produzia, a Hit Hall’s”, disse a mulher, que inicialmente não reconheceu o dançarino. “Eu o via com os dreads, mas como ele estava sem, nem liguei o nome à pessoa. Só alguns minutos depois que o reconheci, quando caído e coberto de sangue”, contou a mulher ao CORREIO.

Nego Pom foi socorrido para o Hospital do Subúrbio, onde ficou internado em estado grave até a tarde desta quarta-feira (22), quando não resistiu e morreu na unidade. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 4 =