Glória se despede da festa do povo: Trezena de Santo Antônio 2016 foi grande em fé e em festa

Por trás de diversão inerente à festa quer na quadra, ou na celebração religiosa, existe muito trabalho duro e bastante dedicação de quem realmente faz a festa acontecer. A Trezena de Santo Antônio 2016, é a última sob a administração da prefeita Ena Vilma Negromonte (PP).

Presente em todas as noites na igreja, porque devota, e depois, recepcionando os visitantes na quadra onde acontece a festa, Ena Vilma se disse impressionada com a dimensão que a festa tomou, a despeito inclusive de momentos difíceis como o município enfrenta com a crise que abala os cofres públicos, e prejudicam particularmente, as áreas ditas culturais.

“Sabe por que eu estou feliz?, porque vi todas que todas as comunidades compareceram, quantas pessoas eu não conversei aqui, de Glória, os amigos de Paulo Afonso, de Salvador, e de tantos lugares. Em hipótese alguma, nós poderíamos deixar de não oferecer esse momento ao povo de Glória”, disse.

De dona Josefa que já conta mais de 90 anos e dançou a quadrilha da melhor idade, coordenada pelo CRAS – Centro de Referência da Assistência Social, a jovens baladeiros, todos tiveram a oportunidade de se divertir, num espaço democrático, onde, vale registrar, não aconteceram ocorrências graves.

A Trezena de Santo Antônio aconteceu de forma ordeira, tradicional, animada com a participação do povo e o empenho da gestão municipal.

Crédito: ASCOM/Glória/BA

A missa de despedida

Pe. José Batista fez sair à procissão ainda cedo, às 17h30 pelas ruas de Glória. Cercado pelas comunidades, o povo cantou os louvores ao padroeiro Santo Antônio, rezou e pediu as bênçãos de Cristo para dias melhores. Para sua primeira festa, já foi aprovado.

O pároco não cansa de agradecer aos fiéis, aos paroquianos que trabalham no dia a dia com ele, a gestão municipal. “Quero agradecer a vocês que todos os anos se esforçam e se empenham, dão o testemunho junto comigo, tem essa coragem de fazer acontecer a evangelização”, disse acompanhado do colega Luís Tibúrcio concelebrante.

Crédito: ASCOM/Glória/BA

As atrações que fizeram a diferença

Geninho Batalha teve um público excepcional, no primeiro fim de semana, onde também se destacaram Farra na Balada, e Danton dos Teclados porque além do fôlego para segurar até saírem os primeiros raios de sol, não deixaram de animar quem queria dançar.

No segundo fim de semana repete-se o grande público da primeira noite, especialmente no sábado com Helinho Ventura, Loz Kuatros e finalmente a religiosa Kairós, que encerrou a festa nesta segunda-feira 13, dia de Santo Antônio.

“Quero agradecer a nossa equipe pelo empenho através dos departamentos de cultura e eventos, nas pessoas de Flávia e Sandra, bem como as secretarias que auxiliam a nossa, especialmente a de infraestrutura e de administração”, disse Nivaldo.

O secretário falou ainda da motivação da festa, que homenageou o “Velho Chico”, e se sobrepôs à crise. “Tivemos aqui homenageadas nas barraquinhas as cidades que fazem parte do Rio São Francisco, este Rio que é fundamental para o município de Glória, e fizemos uma grande festa”, avaliou Nivaldo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − onze =