Irmã de fã que ameaçou Ana Hickmann diz que ele foi morto com ‘crueldade e frieza’

A irmã de Rodrigo Augusto de Pádua, fã que ameaçou matar Ana Hickmann, usou as redes sociais para defender seu irmão, morto durante a confusão que aconteceu no último sábado (21), em um hotel de Belo Horizonte.

Segundo Elaine de Pádua, Rodrigo agiu por "amor", não por "maldade" e foi "assassinado com crueldade e frieza". "Ele já estava imobilizado quando levou os tiros, os três pelas costas", escreveu em mensagem no Facebook. 

Ana estava na cidade para lançar uma linha de roupas e foi rendida, junto com seu cunhado, Gustavo Corrêa, e a esposa dele, a assessora Giovanna Oliveira. Durante o atentado contra a apresentadora, Gustavo entrou em luta corporal com Rodrigo e atirou contra ele três vezes. Atingido duas vezes na cabeça e uma no braço, o fã acabou morrendo.

Foto: Denilton Dias/Estadão Conteúdo

Giovanna também ficou ferida, baleada duas vezes por Rodrigo, no braço e no abdômen. Ela está internada em estado grave. "Ele ia matar todo mundo, era a ideia", disse Gustavo em entrevista à revista Veja São Paulo.

Elaine também lamentou o atentado contra Ana. "Sinto muito pela apresentadora e sua família, sei que não foi fácil todo esse pesadelo, mas, por ela ser uma pessoa pública, estão nos crucificado e isso é injusto. Não estou aqui para defender ou isentar meu irmão da sua responsabilidade, ele não está mais entre nós para se defender. Estava transtornado sim, mas foi assassinado com crueldade e frieza", escreveu Elaine.

Elaine confirmou a declaração que a mãe fez na segunda-feira (23), afirmando que o irmão só queria conversar com Ana Hickmann. "Muitas contradições nos depoimentos e, como minha mãe mesma disse, ele só queria conversar e vê-la… queria atenção de alguma forma. Não vamos esquecer que ele foi impulsionado pelo amor que tinha por ela, em seu mundo ele sofria muito com tudo isso… só quem convivia com ele sabe o que estou dizendo", escreveu no Facebook. 

Elaine também descreve o irmão como um filho dedicado à mãe e à família. "Respeitem a minha família e a memória do meu irmão, ele não está mais aqui… e não tentem achar um culpado crucificando minha família…. minha mãe sangra".

Outro irmão de Rodrigo Augusto, Helisson, também usou o Facebook para falar que o jovem era um "ser humano bom e amável". "Todos que nos conhecem sabem que Rodrigo Augusto de Pádua era alegre, amoroso, gentil, cuidava dos meus pais com muito amor", escreveu.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − seis =