Ana Hickmann relata drama sob a mira de fã: ‘Ele veio para cima de mim e começou a me ofender’

Antes do fim trágico, Rodrigo chegou a disparar duas vezes. Os tiros atingiram Giovana na barriga e no braço. Ela continua internada, mas seu quadro de saúde é estável. Em entrevista à Rede Record, Ana contou que, ao entrar no quarto, o agressor disse: “Eu vim me acertar com você, sua vagabunda”.

“A primeira coisa que me passou pela cabeça é que era um assalto. Ele veio para cima de mim e começou a me ofender, me humilhar. Disse que eu tinha acabado com a vida dele”, contou Ana.

Segundo a apresentadora, ela perdeu o controle do corpo quando Rodrigo apontou a arma para a sua cabeça: “Caí em cima da cama bem na hora em que ele disparou duas vezes. Senti a minha cunhada se movimentando para me proteger, e o meu cunhado gritando ‘corre’. Se não fosse a coragem do Gustavo, meu marido não teria ido me buscar. Teria ido pegar três sacos no IML”.

Já em casa, a apresentadora reconheceu Rodrigo por uma foto na qual ele aparece com os braços para cima. Ela se lembrou de ter bloqueado o perfil dele alguns meses antes porque ele escrevia “coisas pesadas”.

“A primeira coisa que eu quero é ver a minha família de volta aqui em casa”, afirmou. 

À “Veja São Paulo”, Gustavo disse que só pensou em salvar as duas mulheres ao pular em cima do agressor e que não tem remorsos.“Foi tudo desesperador. Não tenho nenhum remorso de ter matado. Antes ele do que eu. Íamos todos morrer”, declarou.

Casos semelhantes já aconteceram com outros artistas. O mais emblemático é do beatle John Lennon, morto por um fã quando voltava para casa, em 1980. Em 2013, o cantor Elymar Santos prestou queixa na delegacia contra um fanático.

Cabeleireiro gravou as agressões

Julio Figueiredo, cabeleireiro contratado por Ana Hickmann, conseguiu gravar, com um celular, parte do diálogo entre a apresentadora e o agressor. Ele chegava ao quarto da ex-modelo, quando ouviu as ameaças e fez a gravação por trás da porta. Rodrigo manda os três se sentarem de costas, mas diz que não vai matar ninguém, pois não é um assassino. Ele acusa Ana de ter duvidado de seu amor e xinga: “Eu sou um ser humano, sua cretina”. Depois, o cabeleireiro interrompeu a gravação para pedir ajuda.

A apresentadora, o cunhado e o cabeleireiro já prestaram depoimentos. A polícia trabalha com a hipótese de crime premeditado. Para o delegado Flávio Grossi, do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa, o fanatismo de Rodrigo por Ana foi o motivo do atentado.

Grossi entendeu ainda que a ação de Gustavo foi em legítima defesa. A questão gerou dúvidas, já que o cunhado de Ana deu dois tiros na nuca do agressor. O advogado criminalista Paulo Freitas Ribeiro concorda com o delegado:

— Numa situação extrema como essa, não dá para controlar se a pessoa vai dar um tiro ou dois. É impossível exigir essa calma e frieza. Mas depende muito das provas.

O próximo passo da polícia é procurar gravações telefônicas e imagens do hotel que ajudem a solucionar o crime. Parentes de Rodrigo serão ouvidos.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − sete =