Fiéis lotam a Praça da Catedral para celebrar a festa de Nossa Senhora de Fátima

Na sexta-feira, 13 de maio, os fiéis que participaram das noites do novenário de Nossa Senhora de Fátima 2016, padroeira da diocese de Paulo Afonso, se despediram da festa.

Alguns com saudade, outros reflexivos, mas é possível garantir seja para quem trabalhou na organização, ou os padres que refletiram sobre o tema “Salve Rainha Mãe de Misericórdia”, religiosos e nós, leigos, que contribuímos com a novena quer doando alimentos, cantando, participando da quermesse, que celebramos Nossa Senhora de Fátima com a dignidade que a Igreja merece. E mais: enquanto o país está em situação difícil e Paulo Afonso não é diferente. Fomos mais solidários. Estamos mais unidos.

Dom Guido presidiu a santa missa, concelebrada por Pe. Roni (pároco) Pe, Adriano (Chanceler), o vigário João Batista e o Frei Ivanilton (Sagrada Família),  com a participação de todas as 15 comunidades que foram a paróquia de Fátima.

“A misericórdia não é uma atitude, em primeiro lugar, a misericórdia é a pessoa de Cristo”, iniciou dom Guido. E depois prossegui sobre o tema escolhido:

“Ter misericórdia implica necessitar da presença de Jesus para que nos ilumine e diga o que fazer dos problemas, que nos ajude a entender e a responder às necessidades que encontramos”.

O método de Deus para que acolhamos a misericórdia

“Em primeiro lugar, a fragilidade humana, é assim que Deus faz história, começou com Abrão – a respeito de quem ninguém apostava nada, continuou com Nossa Senhora, uma virgem de 15 anos, continua depois com os apóstolos, pescadores etc., e hoje conosco”.

Nossa Senhora de Fátima

“Celebrando Nossa Senhora de Fátima, podemos ver que há esse tempo que era a segunda guerra mundial, Ela não aparece ao chefe de Estado ou do exército, mas a três crianças, para dizer como se deve viver buscando pela verdadeira paz, pelo dom da misericórdia”.

A fé

“Nossa Senhora disse: tenham fé, porque nem os bispos, nem os padres acreditaram nelas, e por que Jesus usa esse método?, por que Nossa Senhora não aparece para todos de forma evidente e imediatamente?, justamente porque Deus quer a nossa liberdade, porque sem liberdade, não há fé nem amor”.

A conversão

“Nossa Senhora pediu que rezasse pela conversão dos pecadores, ou seja, cada um de nós, o que significa a conversão?, significa reconhecer que todos nós precisamos das graças de Deus, por isso o papa Francisco colocou o Ano da Misericórdia, eu espero que cada um de nós possa ter esse grito dentro de si, dizendo que eu preciso de ti Senhor, eu preciso do teu perdão, procurar o sacramento da confissão, que passe pela Porta Santa, mas não como mágica. Mas como a possibilidade que Deus oferece para que as feridas sejam saradas, para que possa ter em mim a beleza da vida de Cristo”.

A doação da cadeira de rodas

O Conselho Paroquial aprovou a doação de uma cadeira de rodas motorizada, foi dada a Ecílio coordenador da comunidade Nossa Senhora Aparecida, e cadeirante há mais de 20 anos. “Dentro do Ano da Misericórdia, no novenário de Nossa Senhora de Fátima que foi um tema voltado para a misericórdia, é um gesto concreto”, explicou Pe. Roni.

O bispo entrego-a, Ecílio deu uma pequena volta, sob o olhar atento da comunidade e depois, sob aplausos, agradeceu.

“Agradeço a Deus porque é um momento de alegria para mim e para vocês, estou feliz, mas não porque é uma cadeira de rodas motorizada, mas porque representa a solidariedade, do Conselho, dos grupos, das comunidades e de todos vocês que participam da Igreja”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =