Jô Soares se emociona durante programa ao defender José de Abreu e Chico Buarque

Jô Soares não conteve a emoção ao defender José de Abreu e Chico Buarque durante seu programa, exibido na madrugada de terça para quarta-feira. “Me perdoem, mas eu tinha que fazer esse desabafo que estava contido aqui há muito tempo”, concluiu o apresentador após expor seu pensamento. Em seguida, ele pediu palmas para o compositor de “A banda”.

Recentemente, os artistas estiveram envolvidos em confusões pautadas por questões políticas. Ambos se posicionaram publicamente a favor do Partido dos Trabalhadores (PT) e contra o processo de impeachment da presidente Dilma.

Na noite da última sexta-feira, o ator cuspiu num casal após uma severa discussão. Eles estavam num restaurante japonês em São Paulo e, de segundo José de Abreu, foi insultado pelos vizinhos de mesa. Em entrevista ao Extra, o veterano justificou o ocorrido.

“O casal estava sentado ao nosso lado e a minha mulher começou a perceber que o homem começou a xingar a gente. Ele falava que o nosso dinheiro era de roubo, de Lei Rouanet, nos xingava de safados. Minha mulher, percebendo que eu ainda não tinha ouvido, tentou evitar que eu escutasse. O cara ao lado começou a me chamar de ladrão e a chamar minha mulher de vagabunda. Foi natural: fiquei com a cabeça quente. Quem não ficaria?”.

Durante sua tradicional conversa sobre política com as “Meninas do Jô”, o apresentador criticou os detratores de Abreu, cujo último papel na TV foi como o vilão Gibson de “A regra do jogo”.

“Além da maldade e da ignorância, há uma perversidade ao dizer que o José de Abreu vive às custas da Lei Rouanet. É uma ignorância, uma mentira, um total desconhecimento da lei. (…) As pessoas falam sem conhecimento só para agredir: ‘Ah, se ele é a favor do governo, é claro que ele se beneficia de alguma forma’”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + 6 =