Connect with us

Esportes

Defesa de Daniel Alves apresenta quinta versão e alega embriaguez em caso de estupr0

Novo argumento de defesa de Daniel Alves em caso de acusação introduz alegação de embriaguez do atleta.

Avatar De Redação Portal Chicosabetudo

Publicado

em

Defesa De Daniel Alves Apresenta Quinta Versão E Alega Embriaguez Em Caso De Estupr0
Reprodução

A defesa do lateral Daniel Alves introduziu um novo argumento no processo em que é acusado de estupro. Segundo reportagens dos jornais La Vanguardia e El Periódico, a estratégia legal agora inclui a alegação de embriaguez do atleta na noite do ocorrido. Esta informação surge como um elemento adicional às alegações previamente apresentadas pela defesa.

O julgamento de Daniel está previsto para ocorrer entre os dias 5 e 7 de fevereiro. A nova alegação de embriaguez não constava nas versões anteriores. A advogada Inés Guardiola, representante do jogador, afirmou que Alves “não tinha plena consciência do que fez” na ocasião.

Além disso, a defesa pretende convocar Joana Sanz, ex-esposa do jogador, para depor. Segundo os advogados, ela poderia fornecer relatos sobre o estado de Alves ao retornar para casa após o incidente.

A abordagem da defesa continua a sustentar que houve uma relação sexual consensual após um flerte prévio, conforme argumentado pelo advogado anterior de Alves. Esta é a quinta versão apresentada pela defesa, enquanto o Ministério Público mantém a acusação, pedindo nove anos de prisão para o atleta.

Em caso de condenação, a Justiça determinou o pagamento de € 150 mil (aproximadamente R$ 783 mil) à vítima, como compensação por danos morais e psicológicos. Conforme reportado pelo UOL Esporte, este valor foi pago com apoio de Neymar e seu estafe.

Contexto do caso: O caso remonta à noite de 30 de dezembro de 2022, em uma boate em Barcelona. A vítima, uma jovem de 23 anos, procurou ajuda de amigas e seguranças, que acionaram a polícia. Exames de corpo de delito foram realizados posteriormente.

Inicialmente, Daniel Alves negou as acusações de abuso, mas acabou contradizendo-se em seu depoimento à polícia, resultando em sua prisão preventiva em 20 de janeiro, sem direito a fiança. Posteriormente, admitiu a relação sexual, mas afirmou ser consensual. A defesa do atleta já realizou três pedidos de liberdade, todos negados pela Justiça espanhola, que optou por mantê-lo detido até a conclusão do julgamento.

ANÚNCIO

Mais Lidas