Connect with us

Curiosidades e Tecnologia

Filme “A Sociedade da Neve” retrata drama real do acidente nos Andes

Netflix triunfa com “A Sociedade da Neve”, aclamada adaptação do desastre aéreo de 1972 na Cordilheira dos Andes.

Avatar De Curiosidades E Tecnologia

Publicado

em

Sociedade Da Neve

O aclamado filme “A Sociedade da Neve” da Netflix está recebendo críticas positivas por sua representação da trágica queda do voo uruguaio 571 na Cordilheira dos Andes em 1972. O diretor espanhol Juan Antonia Bayona, junto com o elenco principal, Enzo Vogrincic e Agustín Pardella, retratam essa trágica história com fidelidade e precisão. Aprovação geral de 90% no Rotten Tomatoes e nota 7,9 no IMDb, o filme já recebeu uma indicação ao Globo de Ouro e é uma das produções mais populares da Netflix no Brasil. No entanto, apesar da fidelidade em retratar a história real, alguns detalhes foram modificados ou omitidos no filme.

A história real manteve inalteradas cinco aspectos chaves no filme: Sua representação do acidente em si, o número de vítimas e sobreviventes, a prática de canibalismo pelos sobreviventes, a avalanche que atingiu os destroços do avião onde os sobreviventes estavam abrigados e a jornada que três sobreviventes se voluntariaram para fazer em busca de ajuda.

Apesar de todas as representações fiéis, algumas alterações foram feitas e detalhes foram omitidos para a narrativa no filme. A relutância dos sobreviventes em admitir que tinham se entregue ao canibalismo para sobreviver nos Andes foi um dos aspectos alterados. Na verdade, inicialmente os sobreviventes disseram que sobreviveram com comida enlatada e queijo, antes de eventualmente revelar a prática do canibalismo.

Outro fato que não foi representado corretamente no filme foi o pedido do co-piloto para ser executado, pois ele estava preso nos destroços do avião e não podia ser liberado. Além disso, o filme também alterou o processo de resgate real, que na verdade ocorreu em dois dias, não em um, devido à carga e capacidade do helicóptero de resgate.

Os sobreviventes só tinham comida suficiente para três dias, e não para toda a duração da jornada, como mostrado no filme. Por fim, o filme negligenciou a parte onde os sobreviventes foram duramente criticados pela imprensa por terem recorrido ao canibalismo para sobreviver, ao contrário da representação positiva apresentada no filme.

Continuar lendo

ANÚNCIO

Mais Lidas