Connect with us

Curiosidades e Tecnologia

Brasileiro lidera primeiro transplante renal suíno em humano nos EUA

Brasileiro lidera 1º transplante bem-sucedido de rim de porco em humano, marcando avanço médico histórico.

Avatar De Portal Chicosabetudo

Publicado

em

Transplante

Em um feito médico histórico, cirurgiões do Massachusetts General Hospital (MGH), liderados pelo médico brasileiro Leonardo Riella, conseguiram um grande avanço no campo dos transplantes, realizando com sucesso o primeiro transplante de um rim suíno geneticamente modificado em um ser humano. Esta operação pioneira, realizada com a autorização do FDA, o regulador de saúde dos EUA, abre uma nova fronteira na medicina, trazendo esperança para milhares que aguardam por um transplante.

O procedimento, que durou cerca de três horas, ocorreu na última semana e representou o culminar de anos de pesquisas intensas. A chave para esse sucesso foi a modificação genética do rim suíno, que envolveu a remoção de genes específicos do porco e a adição de genes humanos para fazer o órgão compatível e seguro para o paciente humano.

Antes dessa operação sem precedentes, os rins de porco modificados foram testados em macacos, onde funcionaram bem por dois anos, aumentando as expectativas de que possam oferecer uma solução viável a longo prazo para humanos. Isso é especialmente importante em um mundo onde a demanda por órgãos transplantáveis supera em muito a oferta.

Sobre Leonardo Riella

O Dr. Leonardo Riella tem uma carreira distinta, tendo estudado e trabalhado em algumas das instituições mais prestigiosas do mundo. Formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Riella continuou seus estudos na Universidade de Harvard, onde especializou-se em medicina interna e nefrologia, e realizou pesquisas importantes no campo da imunologia de transplantes.

Atualmente, Riella é professor associado e diretor de transplante de rim no MGH, além de ocupar a cadeira Harold and Ellen Danser Endowed Chair in Transplantation, reconhecendo sua liderança na área. Seu trabalho envolve o estudo de como o sistema imunológico regula a aceitação de órgãos transplantados, visando prolongar a vida útil dos órgãos e melhorar o sucesso dos transplantes.

Riella também lidera projetos de pesquisa como o consórcio TANGO, focado em doenças glomerulares, e o estudo GENIE, que examina a influência da dieta em pacientes com síndrome nefrótica. Seu pioneirismo e dedicação não apenas avançaram as práticas médicas, mas também pavimentaram o caminho para futuras inovações no campo dos transplantes.

Este marco na história dos transplantes marca o início de uma nova era na medicina regenerativa, com o potencial de salvar inúmeras vidas ao mitigar a crise de escassez de órgãos transplantáveis. Com líderes como Riella no comando, o futuro da medicina de transplantes parece mais brilhante do que nunca.

Mais Lidas