publicidade
Bahia, quarta-feira, 30 de julho de 2014 dolar comercial do dia R$ 2,228 27° 19°
Concurso: 162013 - 23 - 27 - 34 - 38 - 57Sorteio: 26/07
Visualizações

Novo Delegado Geral da Polícia Civil da Bahia destaca as prioridades de sua gestão

O delegado geral da Polícia Civil Hélio Jorge Paixão conversou na manhã desta sexta-feira (4), por mais de 30 minutos com jornalistas dos principais veículos de comunicação de Salvador, durante a cerimônia de transmissão de cargo, que aconteceu no auditório do Departamento de Polícia Técnica (DPT). Hélio Jorge falou sobre as prioridades de sua gestão e o que deverá nortear as novas políticas adotadas pela Secretaria da Segurança Pública. Para dar continuidade ao trabalho que vinha sendo feito e intensificá-lo, o delegado salientou também que pretende captar recursos de várias entidades ligadas à Segurança Pública, especialmente na esfera federal. Confira alguns trechos da entrevista:

Prioridades

A redução dos índices de criminalidade e a repressão aos crimes contra a vida são o principal foco. Para tanto, serão intensificadas as operações de combate ao tráfico em Salvador, região metropolitana e cidades do interior. Alem disso, o aparelhamento das delegacias e capacitação dos servidores públicos entram também no rol de prioridades, assim como ações multidisciplinares envolvendo polícias Civil e Militar e Departamento de Polícia Técnica, baseadas em planejamento e análise criminal.

Gestão

Será voltada para a obtenção de resultados. Adotaremos uma política de enfrentamento. Vamos dar prosseguimento e ampliar as ações de combate à criminalidade. Como pilares básicos da sua gestão, Hélio Jorge enumera a otimização da administração, qualificação profissional e busca de tecnologias que possam auxiliar o trabalho de investigação. Ele espera desenvolver uma gestão participativa com o apoio de delegados, agentes e escrivães.

Departamento de Homicídios
Como o foco da atual gestão é a redução nos índices de crime contra a vida, o delegado geral pretende que o Departamento de Homicídios comece a funcionar logo. Os agentes lotados neste departamento terão treinamento específico, baseado em estudos feitos em outros estados. Hélio Jorge salientou que ainda é preciso regulamentar a legislação referente ao funcionamento do departamento e verificar instalações físicas entre outras providências.

Presos em delegacias
O delegado geral afirmou que serão analisadas medidas para solucionar o problema, em parceria com outras secretarias ligadas a área, a exemplo da SJCDH (Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos). Enquanto não surgem novas vagas com a construção de novos presídios a custodia desses presos ainda ficará sob nossa responsabilidade.

Plantões nas delegacias
Segundo afirmou Hélio Jorge, a prioridade nas delegacias é o atendimento à população. Estudos posteriores vão indicar se o atual modelo de plantão deve permanecer ou se será alterado. O mesmo critério se aplica aos plantões das delegacias do interior.

Inquéritos

Ao ser questionado pelos jornalistas sobre o número de inquéritos policiais sem andamento nas delegacias, o delegado geral Hélio Jorge explicou que o Gesip (Grupo Especial de Suporte a Inquéritos Policias) já vem realizando um trabalho de levantamento desses inquéritos e encaminhamento ao Ministério Público. O trabalho será intensificado.

Desvio de conduta
Hélio Jorge considerou os casos de desvio de conduta por parte de policiais como comportamentos pontuais, que não correspondem ao todo da corporação. Denúncias de maus tratos envolvendo policiais civis serão apuradas e investigadas pela Correpol (Corregedoria da Polícia Civil) e Corregedoria Geral. “Não compactuaremos com os casos de desvios de conduta. Todos terão o devido tratamento”.

Qualificação policial

Investir em treinamento e buscar novas tecnologias para utilização no combate a criminalidade. “Reconhecemos que os recursos humanos da Polícia Civil são o principal patrimônio da instituição”.

UPPs

“Já aplicamos a política da polícia de proximidade, afinal nossas delegacias ficam instaladas dentro das comunidades. Precisamos adaptar esse modelo (UPP) à nossa realidade e daí então instalar as bases comunitárias”, afirmou o novo delegado geral.

Roubo a banco
Hélio Jorge informou que as investigações sobre este tipo de delito consomem u tempo maior. “Já existe um núcleo formado para dar prioridade a casos desse porte, nos quais uma equipe se desloca imediatamente para periciar o local e iniciar a investigação. Todas as equipes do interior serão capacitadas para investigar este tipo de ocorrência”.

Desafios

Concluindo a entrevista coletiva, o novo delegado geral afirmou que  a atividade policial por si só já é desafiadora. “Devemos estar sempre prontos a atender as necessidades da sociedade. Acreditamos que temos condições de oferecer uma posição de segurança bem melhor à sociedade como um todo. Tenho plena consciência do desafio. Não recuaremos diante das dificuldades”.

Da Redação ChicoSabeTudo
Ascom/PC